Boletim Arte na Escola

Trabalho com Cildo Meirelles através de recursos e subsídios visuais como vídeos, documentários, pesquisas sobre poéticas e seus processos criativos. Também utilizo materiais como: documentários da DVDteca Arte na Escola, livros e outros audiovisuais. Abordo a relação do artista com o tempo histórico refletido em suas obras desde quando começou e suas principais características.
Mizael Luis Vitor / Guarapuava (PR)

Nesse início de ano, estou trabalhando com meus alunos a série “BASTIDORES”, da Rosana Paulino. Nosso trabalho foi iniciado através de uma leitura de imagem ressaltando aspectos formais e simbólicos presentes na obra. Posteriormente, dividi a turma em grupos e cada grupo ficou responsável por fazer uma apresentação oral sobre alguns dos temas suscitados pela obra em questão tais como: história da mulher, racismo, escravidão, patriarcado e feminismo. Como culminância dos estudos realizados nesse 1º bimestre, os alunos realizarão um trabalho de fazer artístico na qual deverão responder a seguinte questão: Se não estivesse impedida, o que essa mulher gostaria de ver, dizer, ouvir, pensar?
Carlim Silva Paravidino /Campos dos Goytacazes (RJ)

São vários os artistas: Siron Franco, Franz Kracjberg, Vik Muniz, Os Gêmeos e Sebastião Salgado. Amo trabalhar com arte contemporânea, pois através dela promovo mais dúvidas do que certezas, tanto para mim quanto para os alunos. Fiz um trabalho com o documentário "Lixo Extraordinário" do artista Vik Muniz com alunos do EJA na Escola Municipal Amaro de Souza Paes. Eles perceberam todo o processo de criação, desmitificando que o artista já nasce com talento. Ao contrário, viram que ele necessita de conhecimento e planejamento para compor suas obras. Exploramos a materialidade do artista e a desmistificação do talento, e assim partimos para os trabalhos plásticos com diversidades de materiais.
Márcia Christina de Souza Justiniano / São João da Barra (RJ)

Não existe uma preferência por um artista, mas artistas que possuam poéticas que se adequem ao assunto que estou trabalhando. Já trabalhei Lygia Clark, Cildo Meireles, Lygia Pape, Vik Muniz e outros inclusive com poéticas díspares. Em todos os níveis de ensino utilizo a abordagem triangular para estruturar o trabalho, mas claro, percebendo as especificidades e maturidade de cada turma. O trabalho com arte contemporânea permite uma ampliação do olhar, posto que não se restringe a suportes e poéticas, mas proporciona ao sujeito interagir e sobretudo, questionar e refletir sobre as produções artísticas e culturais no mundo. A arte contemporânea pode e deve estar presente em todos os níveis de ensino.
Maria Juliana Sá / Cabo de Santo Agostinho (PE)

Trabalho muito com o Vik Muniz, onde o foco é apresentar e trabalhar com a materialidade do artista, passando pela história da arte através das obras criadas por ele. Desta forma é possível demonstrar que a arte vai além das telas e tintas.
Edmilson Ávila / Guarulhos (SP)

Trabalho com Nelson Leirner, Schwanke, Leda Catunda, Ernesto Neto, Vik Muniz, Luciano da Costa Pereira, Cildo Meireles, Regina Silveira, Rubem Valentin, entre outros, de acordo com os conteúdos da proposta curricular do município. Exploro as imagens, conversamos sobre as características específicas da arte contemporânea que os artistas utilizam nas obras, contextualizamos e realizamos as produções artísticas.
Mariane Matisumoto / Joinville (SC)

Eu trabalho muito com o artista contemporâneo Franz Krajcberg, suas referências e as ligações de sua origem polonesa em contato com a guerra e o olhar sobre a destruição. A partir disso, mostro como o artista protesta e propõe uma reconstrução. Assim, estimulo a reflexão e em seguida uma coleta de elementos naturais encontrados na natureza como folhas secas, flores que ficam caídas no chão, pedras, galhos, etc, ressignificando cada elemento.
Stefane Moço Pereira Macaé / (RJ)

Na verdade não seleciono um artista específico no meu trabalho. Gosto de utilizar os materiais do “Out.art” com as turmas do 9º ano, principalmente para que entendam que a arte pode fazer parte do espaço urbano, e que não tem que estar necessariamente dentro de um museu.
Fabiana Pawlina – Itapoá (SC)

Comentários Deixe o seu comentário

  • Noede Senna Souza Lelis, 22:53 - 18/04/2013
    Uso muito os trabalhos do artista Luciano Lelis. Ele faz um mix de diversos materiais plásticos criando esculturas fantásticas! Meus alunos adoram! Ele também pinta quadros, cria móveis com sucatas e é escritor. Tem alguma coisa dele no face: http://www.facebook.com/luciano.lelis?fref=ts, http://barroborrado.blogspot.com.br/2008/11/esculturas-em-argila-por-luciano-lelis.html, http://www.agbook.com.br/authors/63020, http://www.jequienoticias.com.br/entrevista.php?id=1957... e muitos outros. Gente nova cheia de criatividade.
  • Veronica Leal Ferreira, 14:31 - 20/04/2013
    No ano passado trabalhei alguns artistas catarinenses e dei enfoque nos trabalhos de Luciano Martins e Paulo Tajes Lindner, os mesmos contribuíram enviando suas biografias para que eu pudesse tornar as aulas mais interessantes. Os alunos amaram saber que os próprios artistas mandaram por e-mail uma amostra de seus trabalhos. Foi muito gratificante para todos nós. Veronica de Mafra/SC
  • KETLEEN VIVIANE FALLGATTER, 11:14 - 26/04/2013
    Trabalho com turmas de anos iniciais (fundamental I) e utilizo muito imagens de obras de artistas locais e regionais como nesta última produção feita com alunos do quinto ano, onde utilizamos a imagem de obra de uma artista da região associada aos mapas da cidade e fotografias de pontos turísticos do município, preenchendo o desenho da sombra do perfil de cada aluno. Produção feita em comemoração ao aniversário da cidade.
  • KETLEEN VIVIANE FALLGATTER, 11:18 - 26/04/2013
    Quando trabalhamos o assunto "animais" com os primeiros anos do ensino fundamental, utilizei as imagens de obras de Romero Britto e Gustavo Rosa. Os alunos amaram as cores e as formas que os artistas utilizaram para representar os animais! Fizemos pinturas muito coloridas com desenhos dos animais "misturados", que foi um sucesso entre os alunos!
  • Julmara Goulart Sefstrom, 16:34 - 05/05/2013
    Costumo trabalhar o artista Frans Krajcberg. Apresento uma imagem de sua obra (geralmente a imagem "Sem título", Série queimdas, do carderno Cicatrizes do material arte br. Deixo que os alunos façam a leitura com enfoque nas cores e na materialidade. Depois apresento parte da vida e outras obras do artista, para que os alunos façam relação da obra de Krajcberg com sua própria vida. Trabalho o conceito de figurativo e abstrato. Como encaminhamentos práticos, faço atividades variadas: podem ser fotografia da natureza do entorno da escola, das quais abstraímos imagens, podemos produzir tintas naturais, elaborar produções hibridas com desenho e colagens de fragmentos da natureza (folhas, galhos, pedras). A partir do artista são estimuladas reflexões a respeito de questões ambientais, o modo como o ser humano vem explorando os recursos naturais deixando muitas vezes severas sequelas no ambiente.
  • Adriana Leal, 19:29 - 25/07/2013
    Gosto de trabalhar com Romero Brito... Com as cores alegres, fortes, dá também pra cogitar vários tipos de texturas no mesmo, ou vários trabalhos.

Deixe o seu comentário

Os campos assinalados com (*) são de preenchimento obrigatório.




Ainda nesta edição

Ediçao #68 - Abril 2013

Boletim Arte na Escola

Ediçao #68 - Abril 2013

Visualizar esta edição Baixar esta edição em PDF

O Boletim Arte na Escola é uma publicação da rede Arte na Escola, produzido com o patrocínio da Fundação Iochpe.

ISSN 1809-9254
Instituto Arte na Escola
Alameda Tietê, 618 - Casa 3
CEP 01417-020, São Paulo, SP Fone (11) 3103-8088
contato@artenaescola.org.br

Editora
Silvana Claudio
Jornalista responsável
Fábio Galvão MTB 20.168/SP
Redação
Fábio Galvão e Cecília Galvão
(CGC Educação)
Projeto gráfico
Zozi
Padronização bibliográfica
Shirlene Vila Arruda