Boletim Arte na Escola

Rejane Tononi
Centro Municipal de Educação Infantil Jacyntha Ferreira de Souza Simões, Vitória (ES)

Alfabetizar, diz o dicionário, significa ensinar as primeiras letras. Para a professora Rejane Tononi, vencedora na categoria Educação Infantil, é também sinônimo de aprender a olhar o universo ao redor. Ela cita o mestre Paulo Freire para justificar: "A leitura de mundo precede a leitura da palavra".

Filha de professora, Rejane brincava que seguiria a mesma carreira. Graduou-se em Artes Plásticas, andou pelo mundo da publicidade e da decoração, mas o seu destino era mesmo a sala de aula. Em uma visita a uma exposição sobre as interferências do homem na natureza, Rejane apresentou obras de Tarsila do Amaral aos seus alunos. Para sua surpresa, os pequenos associaram a pintura A Floresta ao clássico da literatura infantil, Chapeuzinho Vermelho. Essa foi a primeira etapa do projeto A arte com olhar de criança, que teve inúmeros (e surpreendentes) desdobramentos. Trabalhou o conceito de família, inclusão social, etnia, meio ambiente... Em uma visita à “floresta” de Chapeuzinho – na verdade, o mangue no bairro de Goiabeiras, em Vitória (ES) – as crianças desenharam e observaram o local, além de recolher lixo, utilizado posteriormente em outra atividade escolar. “Comparo o projeto a um grande rio e seus afluentes. Não trabalho apenas a Arte, mas o meio ambiente e a inclusão."

Rejane se vale da criatividade para driblar as dificuldades. "Precisamos de mais recursos, mais materiais, principalmente de arte contemporânea, mas o mais importante é o professor viajar no imaginário das crianças", afirma. "Precisamos educar o olhar junto com os alunos. Nunca de cima para baixo. Caminhando juntos se chega mais longe."

Assista ao documentário:

DICAS DO PROFESSOR

Estar atento aos questionamentos das crianças e, a partir daí, traçar o percurso e trabalhar a arte de forma mais contextualizada.

O PROJETO

Promover a alfabetização visual e a educação do olhar a partir de obras de Tarsila do Amaral, da literatura infantil, das imagens do entorno da escola e da apropr iação do concei to de sustentabilidade e consciência ambiental.

OBJETIVO

Possibilitar a compreensão do mundo em que vivem por meio das imagens. Construir novas leituras, dando um novo sentido ao que veem.

CONTEÚDOS DA ARTE

A partir da criação, percepção e o conhecimento da produção artística da humanidade, os alunos conheceram diferentes obras de Tarsila do Amaral. Foram também abordados conteúdos sobre a diversidade racial, modelos de família, respeito aos idosos, alimentação saudável, poluição ambiental, animais em extinção, a relevância da coleta seletiva e a destinação do lixo.

COMO FAZER

>> Visitar uma exposição com reproduções de obras que revelem a ação do homem no ambiente;
>> Articular o que apreciaram com o que conheciam, valorizando o conhecimento já construído pelas crianças;
>> Integrar outras linguagens, como a música e a literatura infantil, e ampliar a capacidade de observação visual com leituras de imagens artísticas e cotidianas;
>> Conhecer a vida e as obras de Tarsila do Amaral, fazendo um paralelo entre a época na qual ela viveu e a atual;
>> Conhecer o bairro e a cidade em que vivem com um olhar mais crítico e sensível, despertando a percepção para as coisas simples de cotidiano;
>> Valorizar a cultura do bairro, conhecendo o ofício das tradicionais paneleiras;
>> Envolver as famílias enviando a maleta "a arte vai para casa”;
>> Limpar o manguezal próximo da escola, enfocando as questões relevantes ao meio ambiente;
>> Trabalhar valores como a solidariedade, a autoestima, o preconceito, o respeito ao idoso;
>> Vivenciar por meio da arte as dificuldades enfrentadas pelos portadores de necessidades especiais;
>> Lançar o livro de história Quem quer usar um chapeuzinho vermelho? e expor os trabalhos realizados para toda a comunidade escolar.

O QUE APRENDERAM

As crianças se perceberam como parte integrante do projeto, aguçando ainda mais seu imaginário. Estão mais críticas e observadoras, fazendo uma leitura de mundo mais significativa, ampliando assim seu repertório visual, sem perder o lúdico, tão presente na educação infantil.
 

Referências

AZEVEDO, Heloisa de Aquino. Tarsila do Amaral: a primeira-dama da arte brasileira. Jundiaí: Árvore do Saber, 2003.

BARBOSA, Ana Mae. Arte-educação: conflitos e acertos. São Paulo: Max Limonad,1984.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998. 3v.

KRAMER, Sonia; LEITE, Maria Isabel (Org.). Infância e produção cultural. 7.ed. Campinas: Papirus, 2010.

LEITÃO, Mércia M.; DUARTE, Neide. Uma aventura no mundo de Tarsila. S.l.: Ed. do Brasil, 1999.

LEITE, Maria Isabel; OSTETTO, Luciana E. (Org.). Museu, educação e cultura: encontros de crianças e professores com a arte. 3.ed. Campinas: Papirus, 2010.

Comentários Deixe o seu comentário

  • Iza, 11:50 - 16/12/2013
    Sou professora de artes na ed. infantil e fiquei muito inspirada com a matéria que vi parabéns
  • GLADYS MARIA DE PAIVA RÊGO, 18:10 - 16/12/2013
    Parabéns Professora, até me emocionei com o seu trabalho, riquíssimo com conteúdo e integração das crianças e da família. Também sou professora de Arte e fico muito feliz em ver uma professora trabalhar dessa forma valorizando a arte e interagindo com a leitura do mundo, diversidade racial, aprenderam brincando nunca vão esquecer tenha certeza; Parabéns professora.

Deixe o seu comentário

Os campos assinalados com (*) são de preenchimento obrigatório.




Ainda nesta edição

Ediçao #71 - Dezembro 2013

Boletim Arte na Escola

Ediçao #71 - Dezembro 2013

Visualizar esta edição Baixar esta edição em PDF

O Boletim Arte na Escola é uma publicação da rede Arte na Escola, produzido com o patrocínio da Fundação Iochpe.

ISSN 1809-9254
Instituto Arte na Escola
Alameda Tietê, 618 - Casa 3
CEP 01417-020, São Paulo, SP Fone (11) 3103-8088
contato@artenaescola.org.br

Coordenação geral
Roseli Alves
Editora
Regina Ramoska
Jornalista responsável
Fábio Galvão MTB 20.168/SP
Redação
Fábio Galvão e Cecília Galvão (CGC Educação)
Projeto Gráfico
Zozi
Padronização bibliográfica
Shirlene Vila Arruda