Boletim Arte na Escola

Saber que ensina
Sumaya Mattar, professora doutora da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo.

Muitas vezes, na correria do dia a dia, o professor executa as tarefas mecanicamente e não se dá conta da qualidade do trabalho que realiza – as experiências se perdem e ele deixa de aprender com aquilo que produz como conhecimento em sala de aula. Uma das maneiras de se manter atento é desenvolvendo técnicas de registro, que tanto permitem ao docente tomar consciência de seu processo de trabalho como o mantem em uma atitude criativa e inventiva em relação à própria aula.

Segundo Sumaya Mattar, professora da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, as técnicas de registro podem passar por um trabalho mais crítico e reflexivo, que envolva um texto escrito após a aula, por exemplo, ou por um exercício mais poético, por meio de desenhos, pinturas, poemas. “Ao refletir sobre a própria aula o professor consegue levantar hipóteses para aprimorar o processo educativo que está desenvolvendo com seus alunos, e com isso, lidando inclusive com as dificuldades que vai encontrando, ele vai renovando a sua prática. Quando a reflexão não está presente, o professor não consegue perceber aquilo que precisa ser reformulado, vai repetindo inclusive os erros. O registro permite que o docente desenvolva a autonomia, o espírito criativo, inventivo, a capacidade de reflexão e de crítica, e uma atitude investigativa em relação à própria aula. Ele vai se tornando um intelectual, capaz de pensar sobre o processo de ensino e aprendizagem da arte e um pesquisador da sua própria aula”, finaliza Sumaya.

Veja neste vídeo dois exemplos de registro.



Para ir além:


MATTAR, Sumaya. Sobre arte e educação: entre a oficina artesanal e a sala de aula. Campinas: Papirus, 2010.

SCHÖN, Donald A. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2000.

Comentários Deixe o seu comentário

  • Oberlândio Santos Silva, 01:21 - 30/05/2014
    Parabéns Sumaya! Fico bastante orgulhoso em saber que você foi a minha professora e ainda continua com aquela belíssima sensibilidade de sempre. Obrigado pelos ensinamentos e pelas belos conselhos na época da Belas Artes. Beijos e sucesso.
  • Marilia Schmitt Fernandes, 19:16 - 31/05/2014
    Parabéns pela matéria. Foi dentro das ações do Arte na Escola que aprendi sobre a importância de registrar meu processo enquanto arte/educadora. Passado tanto tempo, ostento com muito orgulho uma prateleira com cadernos e pastas onde estão registradas minhas criações, estratégias, produções e avaliações como arte/educadora. Hoje não seria possível rever-me, não fossem esses escritos, desenhos, colagens e rabiscos cheios de histórias para contar.
  • MARIA DA PENHA FONSECA, 10:50 - 02/06/2014
    Parabéns pela matéria. Tenho reforçado junto aos professores da Rede Publica Estadual do Espírito Santo, nas Oficinas Metodológicas da DVDteca Arte na Escola sobre a importância do registro do professor do seu fazer pedagógico, o quanto isto contribui para seu processo de formação, reflexão, auto avaliação, histórico, etc. Encaminharei a matéria para os professores apreciarem.
  • Dilma Marques Silveira Klem, 09:55 - 03/06/2014
    Excelente matéria! Esta deve ser uma prática constante do professor. O registro de aulas, de exercícios poéticos e reflexivos permite a crítica e possibilidade de aprimoramentos e inovações na dinâmica pedagógica e criativa do educador.
  • CRISTINA DE BARROS SHIGUERU, 17:23 - 06/06/2014
    Belíssima abordagem para os nossos dias, onde o profissional-portifólio tem muito mais chances no mercado de trabalho.
  • Laura de Souza Nascimento dos Santos, 10:38 - 09/06/2014
    Gostei muito do assunto abordado nesse vídeo. Eu particularmente já faço os registros das minhas aulas no caderno de planejamento, entretanto, nos últimos tempos sempre carrego na minha bolsa uma câmera fotográfica para registrar alguma coisa relacionada ao processo de criação dos alunos. Ententretanto, ainda sou relápsa com o registro em vídeo. Tenho um bom acervo em fotografia, mas em vídeo, quase nada. Penso que esses tipos de registro também são bacanas.
  • Jalmira Linhares Damasceno Ferreira, 07:44 - 14/06/2014
    Em nosso grupo de estudo temos adotado a produção do portfólio, que consta dos registros das sensações, aprendizados etc. acerca das reflexões do grupo referente aos estudos realizados. A matéria é de grande importância para o processo reflexivo que estamos vivenciando.
  • Maria do Carmo pereira da Silva, 17:47 - 19/06/2014
    Que maravilhoso seu trabalho. Isso serve de mais incentivo para melhorar nosso trabalho...
  • Rosiane Machado Patricio, 10:25 - 30/06/2014
    Parabéns pela matéria! Eu gostei e gosto muito desse assunto "Arte", a maneira de registro apresentado nessa matéria é muito interessante, pois dessa forma não perdemos o nosso melhor trabalhado no dia a dia.
  • Miriam Kreis De Lucca, 11:20 - 06/07/2014
    Foi muito gratificante ouvir essa fala da Dra. Sumaya. Sempre fiz registros, desde cadernos, muitas fotos, E de 1997 para cá, faço registros com o software PowerPoint com muitas fotos, processos, dúvidas, resoluções e finalizações. Uso para que eu reformule aulas para novas explorações do mesmo conhecimento, para trocas com colegas de área e para novas criações, pois nunca estou satisfeita, quero sempre mais.

Deixe o seu comentário

Os campos assinalados com (*) são de preenchimento obrigatório.




Ainda nesta edição

  • Música na escola

    Artigo - Luís Ricardo Queiroz

    Ensino de música na escola: perspectivas para a atuação docente

  • Repertório plural

    Polêmica

    As novas Diretrizes Curriculares destacam Música, Dança e Teatro e Artes Visuais. Você está preparado?

  • Estamos em obras e produzindo arte

    Vivência

  • Arte como política pública

    Pelo mundo

    Na Argentina, as Escuelas Experimentales estimulam as habilidades artísticas dos alunos em todas as disciplinas.

  • Da memória para a história

    25 Anos

    Elliot Eisner, um dos mais importantes nomes da arte/educação, aproximou o Arte na Escola do Getty Center.

  • Olhos fechados, ouvidos atentos!

    Oficina de música

    Aprenda com o educador e musicólogo Carlos Kater como fazer o Túnel Sonoro, uma atividade que ensina a escutar

  • Editorial

    Editorial

    No aniversário de nossos 25 anos, inauguramos nova visualidade e formato editorial neste Boletim, numa proposta mais interativa e ágil.

  • Cores da Alma

    Artista

    No centenário de Iberê Camargo, sugerimos proposições para as suas aulas.