Boletim Arte na Escola

Evelyn Berg Ioschpe

Aos 25 anos do Instituto Arte na Escola e 15 do Prêmio Arte na Escola Cidadã é impossível não olhar para trás em busca das marcas da caminhada. Nossa atividade central, nas 47 universidades que em todo o país integram a Rede Arte na Escola, é a educação continuada de professores. Este esforço conjunto vem levando capacitação a cerca de 12 mil professores que a cada ano se reúnem nos Grupos de Estudo para aprofundar sua percepção do que e do como gerir uma sala de aula de artes. No meio do caminho criamos o Prêmio para trazer à luz iniciativas exemplares em arte/educação, um pouco para poder contra-argumentar com o professor que nos diz que sua missão é impossível, que ele não dispõe de recursos, de vontade política institucional ou da tranquilidade necessária para desenvolver um projeto de qualidade. E, ao longo destes 15 anos, temos visto estes projetos premiados se qualificarem, e os professores premiados irem adiante em sua formação universitária. São indivíduos comprometidos com o que fazem e que sabem que sua presença na vida de milhares de alunos pode fazer a diferença.

Minha inspiração para este prêmio foi a minha própria professora de arte nos tempos do Colégio de Aplicação da UFRGS: Marianita Tollens Linck. Uma professora que na memória de seus alunos merecia ser premiada. Aquela professora que sempre que os ex-alunos se reúnem é lembrada. Quando estou na plateia do Prêmio e vejo mais um documentário de um professor premiado, penso: vai Marianita, fazer diferença na vida de seus alunos... E, sobretudo, inspirar os milhares de professores de arte no Brasil provando que não só é possível, mas que vale a pena.

Ilustração: Edson LovattoEvelyn Berg Ioschpe

Comentários Deixe o seu comentário

  • Nenhum comentário foi encontrado para o conteúdo acima.

Deixe o seu comentário

Os campos assinalados com (*) são de preenchimento obrigatório.




Ainda nesta edição