Forum
Mirca Izabel Bonano
Como ensinar Música na Escola regular?  Que materiais têm sido utilizados? Como são definidos os conteúdos? Como estão pensando os processos de avaliação? Estas e outras questões serão tratadas neste espaço de trocas e discussões
Mirca Izabel Bonano

Caros Professores

 

Boa tarde!

 

Bem-vindos a mais um Fórum Arte na Escola.

 

Iniciamos o ano de 2011 com um tema que é recorrente nas nossas discussões; a obrigatoriedade do ensino de Música. E neste momento queremos abrir este espaço para além desta questão e investigar um pouco mais as possibilidades de trabalhos que já estão sendo realizados.

Convidamos para mediar este encontro, a especialista em ensino musical Teca (Maria Teresa) Alencar de Brito. Doutora e Mestre em Comunicação e Semiótica pela PUC- SP, Bacharel em Piano e Licenciada em Educação Artística, com Habilitação em Música, Teca é também professora no Departamento de Música da ECA/USP, no curso de Licenciatura em Música e no Programa de Pós-Graduação em Música.

É autora dos livros Koellreutter educador: o humano como objetivo da educação musical (Peirópolis, 2001), Música na educação infantil: propostas para a formação integral da criança (Peirópolis, 2003) e Quantas músicas tem a Música? ou Algo estranho no Museu! (Peirópolis, 2009), além de diversos artigos na área. Participou da elaboração do Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil (MEC, 1998) e produziu seis Cds que documentam o trabalho desenvolvido com crianças e adolescentes.

No fórum, você pode argumentar, questionar, responder, dar sua opinião, pedir e oferecer ajuda. Seu texto é publicado imediatamente e você pode responder diretamente a um participante ou dirigir-se a todo o grupo.

Desejamos que este seja um momento produtivo para todos os professores.

 

Abraço,

 

Mirca Bonano

Instituto Arte na Escola

Teca Alencar De Brito
Caros colegas Com alegria eu agradeço o convite e a oportunidade de participar deste fórum, voltado à importante questão que diz respeito à presença da música na escola. Música / Educação / Educação Musical: que jogo é esse? Com essa pergunta, convido-os a compartilhar experiências, reflexões, dúvidas, desejos...., colocando em discussão o fazer musical na escola. Fico no aguardo um abraço Teca
Eliane Scaff

Olá Teca!

Sou Eliane Scaff, resido em Curitiba PR. Tenho interesse em participar deste Fórum pois sou professora de Artes com formação é em Artes plásticas, portanto, sempre sinto dificuldade e até insegurança em trabalhar com música na  sala de aula. Espero que nossas interações sejam bem produtivas...

Paulo R M Rodrigues

Olá Mirca e Teca, tudo bem?

Já faz um bom tempo que não participo.

Dessa vez resolvi participar pois esse tema é muito polêmico, pois a grande maioria dos professores de arte não gostam de dar música no seu conteúdo anual, eu mesmo.

Não tenho o menor domínio sobre o assunto e quando tento me atrapalho.

O governo deveria capacitar melhor os professores nesse conteúdo já que colocou essa lei, ou então deveria se criar a disciplina música, como acontece nas escolas particulares.

Sílvia Maria De Oliveira
Olá colegas,
 Me interessou muito este tópico pois uma vez que o ensino é obrigatório,e lecionando em Escola da Rede Pública Estadual de São Paulo,me deparo com as diverssas dificuldades e preocupações.Em São Paulo (alguns não devem ter esta informação) ,utilizamos cadernos de atividades ,estes cadernos,não só para mim ,como para muitos professores em Arte ,fogem da realidade dos nossos alunos em se tratando de Música. A musicalização no meu ponto de vista deveria ser levado muito mais à sério como é em algumas escolas privadas,com professores formados em música ,mas mesmo sendo habilitados ,nós que temos especializações em outras áreas,deveríamos ter alguma espécie de apoio para podermos concluir o conteúdo de forma responsável.O caderno de atividade traz exercícios com partituras de música folclórica americana por exemplo (para alunos do Ensino Médio );devo exaltar que nossos alunos nunca foram musicalizados,onde deveríamoster um processo mais demorado do que exige a apostila... este e outros muitos motivos precisaríamos ter apoio de Especialistas na área de Música ,para amenizarmos  "os estragos "que uma aula mal dada pode fazer !
FRANCISCO PEREIRA DA SILVA

Olá, é primeira vez que participo e vejo que este tema é muito bom para o desenvolvimento de ensino aprendizagem dos educandos, no entanto, tem lá suas dificuldades, pois nem todos os educadores dominam a musica. Então para uma melhor interação entre professor e aluno o deveria capacitar os professores nessa área.

 

 

Andréia De Oliveira Coelho
olá, esta semana minha coordenadora me pediu para incluir em meu cronograma uma aula de musica por bimestre. minha dúvida é: E mesmo nescessário ser todo bimestre? porque quando fala de arte na Mesopotâmia não sei que musica posso trabalhar, por exemplo, alguém tem uma dica?
Iracema Saraiva Da Silva
OLá! Meu nome é Iracema e sou professora da Educação Infantil. Sempre me interessei em ministrar minhas aulas com o recurso musical, pois acredito que facilita a aprendizagem, porém compreendo que a Música na sala de aula seja uma situaçao mais abrangente. Gostaria de saber como as escolas irão lidar com essa nova lei? Se contratarão professores especialistas ou será mais um encargo dos professores regentes?
Renilson Miranda De Oliveira
Olá, aqui na Bahia, não ouço nenhuma portaria regularizando o ensino de música. É estranho. Nenhuma discussão da Unidade de Ensino.... Estou na mesma situação que muitos professores deste fórum. Sou formado em Artes visuais e fiz especialização em fundamentos da arte, um excelente curso pela Universidade Estadual do Paraná, inclusive com módulo sobre música e ainda assim não me sinto seguro. Abraço a Teca e a todos
Daniel Schwambach
Olá... Meu nome é Daniel Schwambach, sou músico, sou licenciado em música e desde 2009 trabalho com música no ensino médio. Creio que, para mostrar que música deve ter o mesmo tratamento que qualquer disciplina (guardadas suas especificidades, é claro), é necessário pensar em grades curriculares mais claras, objetivas, abrangentes; é necessário publicar livros didáticos, pois qualquer outra disciplina tem longa tradição em livros didáticos; é necessário fazer um programa de conteúdos (sei que isto talvez possa parecer meio dentro da ótica tradicional) que seja adequado a cada série/ano escolar... Do contrário, música ressurge no âmbito da educação formal de forma "informal", o que é um contrasenso. Penso que todos os elementos que compõe a organização das disciplinas tradicionais (conteúdos divididos por ano, programas mínimos, livros didáticos...) devem também estar presentes no ensino de música. Isto não quer dizer que o professor deve ficar amarrado dentro duma ótima conteudista, pois tudo depende de como os conteúdos são trabalhados, de como livros didáticos são usados, de como o programa é elaborado...
Rafaela da Silva
Olá pessoal! É a primeira vez que participo. Meu nome é Rafaela, sou formada em Artes Visuais, com especialização em Poéticas Visuais, trabalho no ensino privado, séries finais e médio. Passo pela mesma situação. Meus supervisores me pediram pra colocar no planejamento anual o conteúdo música, mas não me orientaram do que realmente devo colocar. Por exemplo: teoria musical é muito complexa, podendo ser trabalhada desde termos mais próximos da realidade dos jovens como coisas que são mais técnicas ( termos e partituras). O que eu tenho feito é trabalhar questões da leitura musical, como reconhecer estilos, ritmos, instrumentos, gêneros e elementos da composição musical( harmonia, timbre...). Também apresento um breve resumo da história da música. Faço atividades práticas com reconhecimentos de sons no cotidianos através da experimentação com objetos pessoais. Brincadeiras de expressão corporal e sonora (junto com o teatro). Entre outras coisas mais simples... Espero que este fórum possa ajudar a melhorar este trabalho. Abraços a todos!
Marilei Martins Pereira Dos Santos

O  ENSINO DE MÚSICA NAS ESCOLAS É MUITO IMPORTANTE E ENRIQUECEDOR PARA OS NOSSOS ALUNOS ,PORÉM É NECESSÁRIO QUE OS  PROFESSORES QUE FOREM LECIONAR MÚSICA, SEJAM FORMADOS  NESSA LINGUAGEM DA ARTE.

EU ATÉ TRANSMITO PARA OS MEUS ALUNOS  CONTEÚDOS RELACIONADOS A MÚSICA MAS CONFESSO QU ME SINTO INSEGURA, MAL PREPARADA PARA MINISTRAR MÚSICA NA MINHA ESCOLA, UMA VEZ QUE A MINHA FORMAÇÃO  É EM ARTES PLÁSTICAS . SUGIRO QUE ESSAS AULAS SEJAM MINISTRADAS POR PROFESSORES ESPECIALIZADOS, PARA UM  RENDIMENTO MUSICAL MAIOR ENTRE OS ALUNOS.  .

O UNIVERSO  DA MÚSICA É INFINITO  E REQUER DOMÍNIO  POR PARTE DO PROFESSOR.

UM ABRAÇO  PARA TODOS,

MARILEI.

Estela Soares De Almeida

Olá! Sou a professora Estela, de Curitiba. Há um bom tempo vimos discutindo esse assunto em Grupos de Estudos, no ambiente escolar nos quais trabalho (rede pública e particular), e informalmente entre colegas profissionais. É uma grande conquista a obrigatoriedade do Ensino da Música, porém estamos cada vez mais confusos, refletindo até onde podemos contribuir ou prejudicar um processo educativo bem significativo para nossa sociedade. O universo da Arte é muito amplo, com muitos conteúdos e pouco tempo. Dentro da realidade das escolas vamos selecionando conteúdos entre aqueles considerados básicos, porém priorizamos o universo regional do aluno e vamos ampliando seus conhecimentos na âmbito geral da história. Sou formada em Artes Plásticas (ou, Visuais) e não me sinto capacitada para selecionar conteúdos de Música, muito menos orientar um processo de ensino musical. Assim como nas artes visuais desenvolvemos processos de ensino-aprendizagem e sensibilização para o conhecimento e prática, imagino o quanto deve ser cuidadoso o mesmo processo em música. Procuramos, como profissionais da Arte, inserir conteúdos nas outras áreas sempre que possível para colocar o aluno em contato com as diferentes modalidades artísticas, mas até que ponto estamos "ensinando" Arte?

As escolas estão tentando se mobilizar, mas não estão encontrando professores de música com disponibilidade de horário. A maioria das escolas particulares possuem apenas 1 aula semanal de Arte, com um professor formado numa das quatro modalidades... A discussão começou muito tarde! E o que vemos são gestores preocupados, sem encontrar saída. E aí? Imagino que o processo começará errado, com profissionais e alunos frustrados. não é para acontecer o processo inverso?

O tempo dirá. Construiremos juntos esse processo, com certeza. Quem sabe, entre erros e acertos, encontremos um caminho humano e prazeroso para todos.

Abraços a todos.

Carla Gioconda Alves Pinto
É bem bacana a proposta do ensino de música na escola. Mas acredito que seria legal também a interdisciplinaridade do músico com o pedagogo em sala de aula.... seira uma dupla riquíssima para a formação dos alunos
Morgana Tillmann

Boa noite a todos!


Acredito que iremos compartilhar muitas experiências e conhecimentos ao longo deste fórum. Para iniciar minha fala... Eu valorizo a conquista pela obrigatoriedade do ensino da música em um país que precisa fazer lei pra validar uma lei já sancionada há anos... que é o caso da música na escola. No entanto, fica evidente o despreparo para esse “acolhimento”. Apesar de muitos estudos serem realizados com relação à educação musical na escola e o olhar do educador musical já estar mais voltado para o ser humano que, parafraseando Koellreutter é o objetivo maior da educação musical, a música na escola ainda é assunto pouco compreendido em sua grande maioria. E a resposta para tudo isso é simples, na minha opinião. Faltou vivência, faltou o sentir musical. Com a música afastada por tanto tempo das escolas é de se esperar que seu retorno seja assim, entre névoas. No entanto, não é possível contentarmo-nos com esse panorama. Ninguém pode oportunizar o que não vivenciou ou que não sentiu. Sendo assim, na minha opinião, além de diretrizes, livros didáticos, etc... é indispensável que os profissionais que irão trabalhar o conteúdo de música nas escolas participem de formações. Não formações esporádicas, tampouco formações com receitas ou ensinando a cumprir as futuras diretrizes. É necessário sim formação continuada, formação que passe por dentro, formação que possibilite o entendimento da importância da música para o ser humano. Importância essa que ultrapassa o trabalho motor, desenvolvimento do canto ou prática instrumental... A partir destas vivências será possível compreender melhor o porquê, para quê e como trabalhar a música na escola. J Teca, como é bom tê-la conosco. Seja bem-vinda!!!

12236 visualizações | 80 respostas Faça login para responder