Forum
Danielle Ramos
A escola pode ser considerada como espaço de produção cultural? Como isso pode ser possível?A formação do professor é fundamental na realização de tal questão?
Mirca Izabel Bonano

Caros(as) Professores(as),

 

 

  

Bem-vindos ao Fórum Arte na Escola do mês de outubro. Este espaço é seu e pretende dar voz ao professor, suas inquietações e quem são seus interlocutores.

 

 

O tema escolhido para esta discussão foi proposto pela professora Danielle Ramos, que discute a possibilidade da escola ser um espaço de produção cultural, as oportunidades dos alunos ampliarem seu repertório e como a formação do professor pode ser determinante neste processo.

 

Nosso convidado a mediar este encontro será o professor Pio Santana, que é

Artista Visual, Graduado em Educação Artística pela Faculdade de Artes Alcântara Machado de São Paulo, mestre em Artes pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista - UNESP, Júlio de Mesquita Filho.

Atualmente é professor efetivo da Secretaria de Estado da Educação de São Paulo atuando na educação básica, professor-tutor da área específica de Arte, da Escola de Formação de Professores da Secretaria da Educação de São Paulo, professor de disciplinas teóricas e práticas na área de Arte na educação superior e professor no curso de Pós-Graduação/especialização em Artes Visuais da Universidade Santa Cecília, da cidade de Santos.

 

 

Os professores poderão participar desta discussão até o dia 01 de novembro, podendo argumentar, questionar, responder, dar sua opinião, pedir e oferecer ajuda. Seu texto é publicado imediatamente no fórum e você pode responder diretamente a um participante ou dirigir-se a todo o grupo.

Desejamos que este seja um momento produtivo para todos os professores.

Abraço,

 

Mirca Bonano

Instituto Arte na Escola

 

Pio Santana
Caro(a) Professor(a)

É um prazer estar aqui com você, no papel de mediador,  frente a uma temática tão instigante e merecedora de reflexão nos dias de hoje.

Para início de conversa,  você concorda que o espaço escolar é lugar que permite a produção cultural da comunidade estudantil? Que tipo de produção é possível? Sua formação profissional influencia nessa ação?

Abraços,

Pio Santana.
Aurélia Regina De Souza Honorato
Bom dia! Sou Aurélia Honorato, professora de Artes por formação e atuo hoje na graduação em Artes Visuais na UNESC - Universidade do Extremo Sul Catarinense - Criciúma SC. Trabalho diretamente com a formação de professores de Artes e percebo, nas experiências que temos nos estágios obrigatórios, o quanto a escola não se vê como espaço de cultura, se vê apenas como espaço de construção do conhecimento cognitivo esquecendo do conhecimento sensível. É claro que não podemos generalizar, mas é muito comum percebermos este distanciamento entre a escola e a cultura. Penso que é papel fundamental do professor atuar neste campo, aproximando estas duas instâncias. Não só o professor de Artes, mas todos os professores de todas as áreas. Defendo a ideia da formação estética para todos as pessoas, em especial na escola...
Pio Santana
Olá Aurélia Regina!

Obrigado por sua importante participação, esperamos que este assunto atraia muitos  outros colegas professores. Fiquei curioso em saber como e quais seriam, na prática, essas ações?

Abraços,

Pio
Ivanilde Silva

Olá Sou Ivanilde Silva. Graduanda do Curso de Licenciatura Plena em Teatro, na Universidade Federal do Pará, cursando o 6º semestre.

Sou Técnica em cenografia e atuo na área de iluminação cênica e quero aprofundar minha investigação nessa área.

 Por isso, estou desenvolvendo minha pesquisa de TCC,  abordando a questão da metodologia de ensino do teatro a partir da iluminação e tenho buscado referenciais teóricos que me deem suporte no que diz respeito a sensibilização do olhar.

Li o comentário da Professora Aurélia e gostaria que você pudesse me sugerir algumas referencias nesse sentido.

Comecei a vivenciar o estágio na escola pública, e aqui no norte( Belém), no qual professores de artes visuais ou de educação física que desenvolvem alguns projetos na área de teatro.

Acredito na importância de valorização do espaço escolar, enquanto espaço de vivencia multidisciplinar das artes, onde cada uma pode contribuir no desenvolvimento da outra, dança, música teatro e artes visuais numa relação hibrida.

Abraços Iva

William De Lima Machado

Meu nome é William Machado, sou professor, tenho formação em pedagogia e formação técnica em música com ênfase em violão. É muito importante percebermos a dimensão artístico-cultural que o ambiente escolar possibilita. Pois, qualquer professor, por mais tradicionalista que seja, produz com seus alunos alguma forma de arte. É certo que dentro desta dimensão e até mesmo por uma questão cultural e histórica da arte na educação e no Brasil, o conflito seja inevitável, pois, não há uma valorização por parte da grande maioria dos docentes e quiçá das políticas escolares, quanto à educação sensível, fundamental ao desenvolvimento humano. Coloco em questão a "educação pela arte" e a "arte educação", nas quais, ao meu ver, o conflito suscita uma análise criteriosa no enfoque das aptidões espontâneas, possibilitando a percepção de talentos, e o estímulo ao despertar destes talentos, quando em  uma simples aula de musicalização, nos deparamos com um aluno ou grupo de alunos prontos para um ensaio mais sério e artístico. Ou seja, a educação pela arte pode levar um aluno a um nível de aprofundamento e interesse, e a um nível de trabalho mais elaborado, bastando para isso, da compreensão do grau de frustração gerado pela péssima administração destes valores.

 

 

Pio Santana
Olá Ivanilde!

Obrigado por sua participação.
Sobre sua solicitação, não ficou claro quais os referenciais você se referiu, se é sobre sua pesquisa ou sobre as práticas da profa. Aurélia?
Se for sobre sua pesquisa eu não tenho como ajudá-la pois minha área de formação e atuação pertence às artes visuais.

Como você vê a produção cultural no espaço escolar? É possível? A formação docente tem importância nessa ação?

Abraços,

Pio.
Pio Santana
Olá William!

Concordo plenamente com suas palavras e fico na expectativa em querer saber como é que nós docentes deveríamos atuar, para que a prática cultural no espaço da escola se efetive cotidianamente, percebendo-se que há muitos talentos. Seria então um trabalho político? A formação docente dá conta de uma postura assim?

Abraços,

Pio.
Flávio Bronharon

Meu nome é Flávio Bronharon e leciono arte na rede pública do Estado de São Paulo. Agradeço a oportunidade deste encontro pois considero o tema proposto muito interessante e enriquecedor.

Gostaria de fazer um colocação sobre o termo 'produção cultural', que considero bastante amplo e generalizador, questionando se não seria mais focado dizer 'produção cultural mediada pelo espaço escolar'.

Faço esta colocação para colocar uma questão sobre o repertório cultural do aluno e da comunidade onde vive. Como se faz o diálogo do repertório do aluno e de sua comunidade no espaço escolar?

Ao eleger determinado valor cultural, posso estar negando outro e então, quais cuidados ou critérios devemos ter ao trabalhar com esta questão no espaço escolar?

Roberto De Mendonça França Junior

A escola pode ser considerada como espaço de produção cultural? Como isso pode ser possível?A formação do professor é fundamental na realização de tal questão?
Olá a tod@s, meu nome é Roberto França, sou arte educador, moro em Belém do Pará, e atuo em um projeto de arte em um hospital de referencia em oncológia.

A questão proposta neste fórum, é interessante quando nos perguntamos sobre as diversas formas de conceber a escola, percebo que a escola é um grande campo de intercambio, formação e produção cultural, pois neste espaço diversas formas de pensar e agir estão se encontrando, resignificando, produzindo ou conhecendo propostas diversas inclusive as relacionadas as questões artística, pois as formas de olhar e entender o mundo pela óptica da Arte, prepassa por este campo de interações.

Cabe ao professor e sua formação continua e continuada, trazer as discussões para o campo da Arte por se tratar de algo mais especifico, através do entendimento e repasse deste, sobre o conceito de produção cultural e suas formas de suas manifestações.  
um abraço,

Elizete Aikawa Padilha

Sou Elizete Aikawa Padilha, professora/coordenadora de oficinas de Arte do programa de Escola em tempo Integral da rede municipal de Mogi das Cruzes, S.P e defensora radical do território escolar como espaço de integração e divulgação cultural. Acredito que este é o único espaço para grande parte de nossos alunos, que concentra ponto de encontro, convívio com colegas, troca de informações. A Arte tem o poder de questionar, informar, construir, desconstruir, provocar e auxiliar no desenvolvimento cognitivo. Como excluir táo poderosa arma do território escolar? Acho que depende muito do "fazer artístico" do professor e do apoio pedagógico da escola, uma parceria que pode transformar o espaço físico em uma fonte prazeroso e criativa de cultura.

Forte abraço a tribo das artes.

Cleide Ferreira Dos Santos

 

A Escola de hoje tem que ter formação, informação, diálogo e diversidade cultural. Para isso o professor deve estar bem preparado para este papel que veem desenvolvendo.

A escola e considerada um espaço de transmissão e construção de conhecimentos, vem sendo pressionada a adaptar-se às transformações ocorridas historicamente na sociedade moderna, que começa a exigir, para o mercado de trabalho, uma mão de obra qualificada, em diversos setores e em menor tempo possível, a qual deverá ser preparada pela escola, que vem se constituindo, cada vez mais como espaços de "informação", muitas vezes, com prejuízo da "formação" e da cultura desenvolvida nestas escolas. É sera que a Escola esta preparada(material,tecnologia e um salário digno) para tanto.

Luciane Cristina Guadagnin
Oi,meu nome é Luciane,sou professora de arte em duas escolas estaduais,ensino médio,no Rio Grande do Sul.Com certeza a escola é o principal veiculo para produção cultural.Em meus trabalhos instigo os alunos a criarem nas mais diversas areas,e percebo o quanto a resposta é positiva e imediata.Pesquisam,discutem,procuram,entrevistam,filmam,fotografam,desenham,escrevem,interpretam,calculam,é vasto os campos informativos e formas de retorno dos trabalhos.Quanto a formação do professor é impressindivel,pois sem este,estamos fadados ao esquecimento e enfraquecimento da escola como meio de produção cultural.Sempre que faço novo curso,e levo temas e materiais atuais a resposta é imediata,quando levo informações de tempos idos e como influenciaram em suas épocas,o interesse é maior ainda.Atualmente estou estudando violino,tenho levado o instrumento e demonstrado em sala de aula,explicando etapas, peças ,tamanho ideal,materiais para confecção,qualidade,dificuldades  na aprendizagem,etc,e tamanha foi minha surpresa ao saber que alguns alunos compraram o instrumento e querem  aprender a manusea-lo.Fato que só aconteceu motivados pela exaustiva procura de formação.Obrigada pelo espaço e espero contar sempre com pessoas focadas em educação como vocês.Obrigada.
Vanessa Levendoski Nolasco Dias

Boa Tarde.

Sou Vanessa, professora de Arte e fiquei feliz com o convite para participar do fórum, agradeço desde já, obrigado. Bom referente à produção cultural na escola eu acredito que é fundamental a participação dos professores, pois temos que ter como um dos objetivos a cidadania e com uma mediação construtiva podemos ter uma aprendizagem produtiva e competente, já que nos dias de hoje temos varias formações de famílias podemos começar pela própria comunidade e ir ampliando os conhecimentos e olhares, melhorando suas visões de mundo. Espero ter contribuído positivamente.

Abraços

Vanessa...

Marcia Ap A A Arruda Depman
Eu sou Marcia Ap A A Depman sou licenciada em geografia e arte visual  na rede estadual de Sorocaba estou muito feliz pelo convite .E portanto um assunto que devemos  debater já que cada vez mais ,a sociedade coloca em nossas maõ mais responsabilidade  tanto na parte pedagogica e na formação de cidadania,.. 
6823 visualizações | 58 respostas Faça login para responder