Forum
Ana Marcia Akaui Moreira

O professor de artes visuais ou qualquer outra manifestação artistica deveria ser antes de mais nada ARTISTA, ou seja, além de ensinar, aprender e participar do seu próprio processo artistico, conhecendo mais profundamente a arte.

Mirca Izabel Bonano

Caros professores, 
 
Sejam bem-vindos ao fórum de agosto. Este mês iremos discutir se o professor de Arte deveria ser artista e se isso qualificaria sua relação ensino/aprendizagem ao se beneficiar desta vivência em seu próprio processo artístico. O tema foi proposto pela professora Ana Marcia Akaui Moreira.

Para mediar esta discussão, convidamos o artista plástico, educador e museólogo, Paulo Portella Filho, graduado pela Escola de Comunicações e Artes da USP, com especialização em Arte/educação em Museus de Arte pela ECA – USP. Portella implantou e coordena, desde 1997, o Serviço Educativo do MASP. É o responsável pela criação e instalação do Ateliê do MASP e, entre outros, do Projeto Fazendo Arte no Hospital. É criador de diversas modalidades de Assessoria ao Professor como fonte para parcerias de trabalho do museu com a escola.

Como artista recebeu diversas premiações, tem obras em coleções privadas e publicas, entre elas, na coleção do MAC – USP, MAM – SP, do MAM – RJ, da Pinacoteca do Estado de São Paulo, da FUNARTE.

O fórum fica aberto de 5 de agosto a 5 de setembro de 2010 e, ao longo deste período, pretendemos ampliar nossas possibilidades de conhecer como os professores brasileiros pensam esta questão.

É a oportunidade também para compartilhar idéias, novos desafios, dúvidas e momentos de reflexão. 

Este é um espaço aberto para a troca de conhecimentos e relatos de experiência. Vocês são os nossos convidados! Chame também seus amigos para partilhar desta troca.

Grande abraço,


Mirca Bonano
Instituto Arte na Escola

Ana Rita Rafael
Construção do Conhecimento Artístico do Aluno Sobre este aspecto a professora acredita que os alunos aprendem “algo sobre arte” por meio de estudos, exercícios, leitura e principalmente dedicação. Ela complementa dizendo que um bom trabalho artístico é fruto de muita pesquisa técnica, de experimentações, principalmente na atualidade com tantas possibilidades existentes na esfera artística. Para ela os alunos aprendem fazendo, construindo algo em desenho, pintura, escultura ou com sucata e conhecendo a história da arte. Leva em consideração também a relação entre teoria e prática que para ela devem estar presente durante o desenvolvimento de quaisquer que sejam as atividades. Ana Rita Rafael
Elisandra Gewehr Cardoso

O fato de poder entender melhor tudo o que envolve um processo artístico já é uma razão para que o professor tenha sua produção, as experiências, seja em qual procedimento artístico for, ao ampliar a sensibilidade e a percepção sobre o fazer artístico pessoal, proporionam um compartilhamento mais profundo com os alunos, ampliando a atuação do professor.

Jorge Noronha

Acho bacana o tema, porém, me sinto frustrado, tendo em vista minha formação e experiência artísticas ser em Dança sem graduação, apenas sindicalizado e com registro do DRT/RJ (Diretoria Regional do Trabalho do Rio de Janeiro) e minha graduação, licenciatura em Artes Plásticas. Nesse sentido, acredito que, privilegiar a teoria, em algumas situações, reforça a necessária credibilidade em que, de fato merece, esta disciplina históricamente ligada ao laisse-afair.

Betania Libanio Dantas De Araujo

Olá Ana Marcia e colegas,

No convite que recebemos por e-mail é perguntado se o professor de artes deve viver experimentações artísticas e isso respondo que é uma condição obrigatória. Porém no fórum a pergunta muda: o professor deve ser artista? Então é a essa segunda pergunta que respondo a seguir.

O professor não precisa ser artista, precisa ter olhos de artista. O livro Arte-educação da pré-escola à universidade desenvolve esta questão com maestria. Um professor de Matemática precisa ser um matemático? E o professor de Sociologia, um sociólogo? 

O professor de Arte precisa saber da ação educativa, contudo ele deve viver todas as experimentações artísticas que os seus alunos viverão e passar igualmente por todas as frustrações e alegrias que advêm da pesquisa seja ela cênica, musical, visual ou de corpo-movimento.

O professor não pode perder as procuras da pesquisa de natureza artística; como encantar os seus alunos para a pesquisa artística se ele mesmo não pesquisa? Deve ser um experimentador para descobrir que todo aluno tem o direito a aprender a ser livre na expressão e que toda expressão exige "ralação", dele como professor e do aluno como pupilo.

A escola não é lugar para o professor opor a sua maneira de produzir arte ofuscando a produção dos alunos e jogando holofotes sobre a maneira como ele produz. A escola é o espaço para que os alunos sejam reconhecidos e descubram o seu valor, que desenvolvam a sua expressividade e sejam mais felizes. A maneira como me expresso artisticamente não pode ditar normas do fazer arte. É um contato muito próximo e sutil em que se reconhece o traço de expressão de cada aluno (O que ele diz por si) e alimentamos as suas buscas sem determinar caminhos, eles fazem caminhos ao andar e tornam-se senhores das suas escolhas.

Acredito que a pergunta deste fórum poderia ser direcionada para:

como o professor re(descobre) o seu projeto pessoal e torna-se pesquisador, alimentando as suas produções por toda a vida. Pois descobrindo o seu projeto será sempre capaz de alimentar o projeto dos seus alunos.

Felicidades

Betania

 

Regina Maria De Lima Sanson
Acredito que se torna mais facil para o (a) professor(a) artista, seja de qual área de artes for, para poder incentivar o (a) aluno(a)  a descobrir e desenvolver também uma  forma artística.
Gilmar Paim De Lima
Acredito que o professor de Artes necessariamente não tenha que ser um artista, mas seria muito bom se todos os licenciados em Artes fossem de fatos artistas de profissão. Ensinar o que não se sabe fazer, falar de algo que só se sabe na teoria não é nada bom. Pois, sou professor de Artes, licenciado pela UFBA, sou um artista, pois sempre pintei e pinto minhas telas, no passado, antes de entrar para a faculdade, me sentia um verdadeiro artista, eu era um artista, mas a necessidade de correr atrás de uma vida melhor me fustrou o ser artista, mas não perdi o poder da criação, pintei algumas telas, mais nunca tentei sobreviver da minha Arte, me escondi na segurança de um emprego estável como professor.
Gilmar Paim De Lima
Regina Maria de Lima Sanson escreveu:
Acredito que se torna mais facil para o (a) professor(a) artista, seja de qual área de artes for, para poder incentivar o (a) aluno(a)  a descobrir e desenvolver também uma  forma artística.


Antonia Luz De Freitas Lima

Não penso que um professor de arte deva, necessariamente, ser um artísta ( não pelo menos dos já reconhecidos no mercado), mas que tenha produções reconhecidamente válidas no meio acadêmico.  Para ensinar arte deve-se ter junto à muita leitura e pesquisa, a didática,  a sensibilidade artística, a percepção das diversas formas de arte que a sociedade contemporânea pós-moderna requer. Incluindo aí as novas tecnologias, espírito investigativo, questionador e, experimentação sempre com abertura para o novo.   

Ana Alice Gatti Preto
Acho que ajuda muito, porque o professor  inovador e criativo, promoverá criatividade nos alunos.
Helena Cristina Baptista
concordo com o facto de o professor ser tambem artista.no entanto, por vezes, assiste-se a uma certa incapacidade do artista no ensinar. quer na forma como (nao) dialoga com o aluno, quer na forma como acha que o deve fazer, aplicando atitudes de superioridade e mesmo de falha de comunicação.
Monica A B Miranda
Acredito que um professor de artes precise conhecer as técnicas do que pretende ensinar. Ele deve ensinar dentro de seu conhecimento o que julga melhor para seus alunos.
O movimento para mim é muito importante. O movimento dos personagens ou do personagem de uma obra. O sentimento que o artista cria em sua obra . Qual a emoção identificada? O aluno pode então criar um movimento novo, uma expressão nova a partir de obras significantes para a humanidade.
O professor não precisa ser um artista já que não precisa terminar uma obra por completo para ensinar os seus alunos; mas precisa conhecer o material no qual pretende trabalhar e dominar suas técnicas.
Vaine Rodrigues Lima Carvalho

De acordo com minha atuação em sala de aula, sempre me utilizei de meus trabalhos para incentivar meus alunos, as vezes, especialmente no ensino médio o professor é convidado pelos alunos a mostrar se realmente sabe.Se você mostra que possui o domínio da técnica eles já perguntam se eu posso ajudá-los , se demonstra  que não domíno a técnica, eles também nem tentam. 

Muitas vezes,precisei iniciar um trabalho em sala para  encorajá-los

Elizangela
Eu não diria que o professor de arte,tenha que ser necessariamente um artista,mas que deve ter muita sensibilidade,conhecer as técnicas e ter muito estudo,muita pesquisa.é imaginar um professor de matemática,por exemplo,que sabe as 4 operações,mas não sabe equação.O professor de arte precisa acima de tudo conhecer e compreender os processos históricos,sociais que permeiam a Arte sempre.E quem diz que todo professor não é senão um pouco artista sempre?
Flavia Damas Vieira

Todo artistita é um professor? Porque todo professor deveria ser um artista? Cada professor, com certeza deve ter conhecimento na sua área. Mas teoria e pratica quase nunca caminham juntas. Conhecimento é tudo pra um professor. Se ele tiver a pratica, o ajudaria muito em uma determinada técnica, que seria sua, mais ele acabaria engessado, pois certamente ele não tem a pratica de todas as técnicas.

5612 visualizações | 61 respostas Faça login para responder