Forum
Monica Kondziolková

Caros Professores,

Quero dar as boas vindas a professora Beloní Cacique Braga, de Uberlândia – MG, 2ª colocada do Prêmio Arte na Escola Cidadã em 2005 e finalista em 2004, que irá moderar este tema. Bem-vindos também todos os professores usuários do site do Arte na Escola!

Beloní já tem arrebanhado para este espaço muitos professores que navegam nestes mares eletrônicos em busca de dicas e troca de experiências sobre assuntos do cotidiano de quem ensina arte. Por este motivo a convidamos para moderar este tema que é do interesse de muitos usuários do site.

Esperamos que este novo formato do Fórum, mais amigável e interativo, traga para mais perto as pessoas e todas as experiências que elas trazem consigo para que possamos juntos aprender sempre! 

Beloní, a palavra é sua!

Monica Kondziolková

Beloní Cacique Braga

Puxa, que prazer ter um ponto de encontro com colegas educadores... e com este novo visual melhor ainda!!! Continuaremos as conversas sobre o ensino de Arte com o foco em um novo elemento: o registro de aula.

Como realizamos os registros de nossas aulas? Os conhecidos planos de aula, parte integrante da ação de quem planeja, ainda possuem lugar de destaque entre nossas ações. Mas vem surgindo com a modernidade e a escassez de tempo novos registros. Aqueles pequenos trechos que escrevemos no canto do caderno, as falas instigantes de nossos alunos anotadas rapidamente para não perder nenhuma palavra, os relatórios do trabalho ou projeto realizado.

Enfim, vamos começar essa prosa com o propósito de socializar idéias, trocar experiências e buscar refletir sobre a nossa prática. Meu encontro com o registro não é recente, mas foi com a primeira participação no prêmio Arte na Escola que encontrei um formato de relato que abrange com detalhes as ações e pensamentos da docência nessa área facinante do conhecimento.

E você, como realiza seus registros? Chega mais e conta pra gente sua experiência, pois temos um encontro diário no fórum.

Até já!

Abraços bem mineiros "uai"

Beloní

Para quem não me conhece ainda, segue uma foto.Ok?

Sandra Marli Cadore

 Olá a todos   que de uma forma ou outra acabam se encontrando aqui.

Meu nome é Sandra,sou professora  há 15 anos e trabalho com artes plásticas . Atualmente estou fazendo mestrado em Educação.Por conta dos meus estudos,preciso viajar toda semana ,o que me levou a solicitar licença do trabalho na escola.

Infelizmente não sou associada  à Rede Arte na Escola,não estou agregada a nenhum polo,mas sou assídua do site há muito tempo,e faço isso quase que diariamente.

Com relação ao registro de aula:como e quando fazê-los,gostaria de contribuir com  experiência das minhas práticas em sala de aula.

Sempre me preocupei muito com o encaminahamento das minhas idéias.Sempre procurei registar diariamente  o que estava pensando,respeitando as individualidades de cada aluno e  as características de cada turma.Fazia isso sempre que terminava a aula,mas hoje penso que deve ser realizando enquanto se está atuando.Muitas vezes me encontrava a pensar durante as práticas de sala de aula o quanto poderia  ter sido diferente se tivesse realizado o "JUÍZ" mais  consistentemente,isto é,ter realmente me perguntado se tudo o que disponibilizei aos alunos,estava  realmente levando-os a um exercício de cidadania.

Mas também outro dado importante é fazer  à partir dos trabalhos dos alunos uma  reflexão  dos nossos registros,verificar pontos positivos,avanços,erros e assim sucessivamente. Para encaminhar essa reflexão lançava mão dos DOSSIÊS. Os dossiês eram pastas confeccionadas pelos alunas  com papel  firme ,onde  os alunos colocavam quase tudo.Era uma espécie de "VIDA DO ALUNO".Digo quase tudo,pois os trabalhos tridimensionais evidentemente ficavam expostos na sala de artes.

Por que fazer os registros?Não consigo imaginar um professor de artes ou de qualquer outra disciplina que não faça registros de suas práticas,registros das suas idéias,registro dos seus alunos,das suas aprendizagens junto a eles,das suas angustias,incertezas etc..

Por que faço registro?por que ele  me dá o "NORTE",à partir dele  posso sonhar ,me alegrar,colher  e dividir sucessos e por que não ,também as derrotas.É importante ter os registros,pois  é a ele que vou recorrer para respaldar  ganhos e perdas.Se não faço-os como saber "COMO ESTOU DIRIGINDO?"

Meu Deus,vou acabar por aqui,isso já ficou muito extenso.Um abração a todos  da Professora Sandra!

quase certezas

Jairo Larroza
Olá colega!
Na verdade, meus registros são feitos mais ou menos como você disse: anotações no canto de uma folha, pequenas gravações em fita cassete (ainda uso fita cassete!), ou marquinhas e observações na própria lista de chamada, que no final de um semestre já está toda tomada. Bem, talvez o mais importante não disse ainda: sou professor de musicalização. As especificidades de meu trabalho exigem que a aula seja muito dinâmica e alguns registros (às vezes muitos), acabam se perdendo. Esou aberto a sugestões e críticas, pois ainda não tenho em colegas do meu convívio uma referência aplicável, mais por falta minha do que deles. Uma pergunta angustiante: "Como fazer registros significativos sem interromper a aula ou na correria dos intervalos; ou de memória horas mais tarde?" Bem, fico aqui desejando sucesso a todos. Parabéns pela iniciativa e bom gosto. Um abraço!
Jairo Larroza - Vila Velha, ES
Aldeci Cacique Calixto

Oi a todos!

Meu nome é Aldeci e não sou professora de Arte. Trabalho com o curso de Pedagogia e sinto que preciso participar porque as professoras de Educação Infantil e séries iniciais, que contribuo para formar, tem estado emersas neste trabalho sem, contudo, ter qualquer preparo para ele. Na universidade em que leciono, o curso de Pedagogia não contempla uma única disciplina com este foco, apesar das alunas poderem cursar disciplinas optativas no curso de Artes, coisa que dificilmente acontece.

Bom, mas  gostaria de poder contribuir, principalmente com o prof. Jairo. A pergunta dele me fez coçar a idéia (como coceira de bicho de pé, como diria o Rubem Alves). Como fazer o registro em aulas tão dinâmicas? Nós professores temos a mania de querer dar conta de tudo e ter controle sobre tudo. Que tal dividir a tarefa com seus alunos? Penso que há coisas que acontecem que vc não percebe e que eles não deixam escapar. Outra idéia seria reservar um momento no final da aula para para pensar sobre o que foi feito, com vc ou eles tomando nota.

Será que outro colega já experimentou o que eu estou falando?

Um abraço

Aldeci

Raquel Montini Zampolli

Olá!

Meu nome é Raquel, sou arte-educadora, e trabalho na rede pública há três anos.O tema chamou a atenção, pois  tem dia que mal tenho tempo para fazer chamada, registrar ítens. Acredito que existe vários modos de registrar a aula dada, como gosto de trabalhar com projetos, geralmente fica fácil de situar onde estou,  os objetivos atingidos e os que preciso retomar, mas outra sugestão é o portifólio do aluno, com datas e roteiro da aula. No caso de não ter o portofólio, pode ser o próprio caderno, desde que seja registrada a aula.Isso ajuda o professor e o aluno a ter uma referência e uma organização, levando a uma auto-avaliação do que foi proposto e do que foi realizado.

Beloní Cacique Braga

Olá pessoal

Acredito que começamos bem a nossa conversa. O Jairo tem razão e a Raquel também. O tempo pra registrar  os fatos sempre é pequeno e às vezes inexiste. Por isso nos propomos a discutir sobre esse tema. Acredito que após um dia de trabalho ou mesmo  no fim da semana precisamos tirar um tempinho e escrever.Essa escrita não precisa ser inicialmente algo formal. Gosto muito de escrever sem preocupação, por isso criei uma pasta no computador com o título "Experiências cotidianas". Começo pela data e daí ... lá vai palavra. Dias depois releio, penso e começo a me organizar.  Existem ações que precisam ser bem pensadas e como estamos tão envolvidos não enxergamos bem, nesse caso concordo com a  Miriam Celeste  que nos propõe exercitar "o olhar estrangeiro". Já leu o artigo dela com este título? (Aqui no site Arte na Escola você encontra)

Uma outra ação legal é delegar aos alunos essa responsabilidade, do jeito que a Aldeci sugeriu. Eles são bons nesse negócio, pode confiar.

Desejo a Sandra um bom papo conosco e que acompanhe as ações dos pólos. Se pudermos colaborar o endereço... é aqui.

Estamos aguardando mais professores para nosso encontro.

E você já fez o registro de sua aula hoje? Como foi?

Abraço bem  mineiro

Beloní

Envio uma foto que ilustra bem o sufoco do nosso tempo em sala. Mesmo assim vamos registrar nossa aula ok?

José Henrique Braga

Olá Pessoal

Meu nome é José Henrique Braga, mas prefiro que me chamem por Zenrique ou simplesmente Zé, como tento viver minha vida, simplesmente.  Sou professor de História e Geografia, ou seja, licenciatura plena para História e curta para Geografia.  Atualmente trabalho com as séries: 5ª, 6ª e 7ª série. 

Apesar da formação principal ser História, é com a Geografia que tenho me realizado mais, principalmente pelo fato de realizar tantas aulas de campo e marcado bastante meus alunos.

Outra área da Geografia pouco explorada que tem me trazido bastante satisfação é a Astronomia, ensino apenas o básico, que já é bastante em relação ao que é oferecido pelos livros didáticos.  Saímos do lugar comum e depois da aula na rosa-dos-ventos, aprendemos a identificar os Planetas, as Constelações, as estrelas mais visíveis e o que eles mais ficam fascinados, a visualização de satélites artificiais e a ISS (Estação Espacial Internacional).  Tivemos uma aula especial no dia 22/09/2006, pois a escola inteira saiu para o estacionamento para vermos juntos o Eclipse Anular do Sol, foi espetacular, apesar do tempo fechado, entre uma núvem e outra, quando o Sol aparecia com uma parte oculta pela lua, sentimos a empolgação da garotada, tenho certeza que esse momento vai marcar mais do que estudar o Eclipse dentro das 4 paredes da sala, pelo livro didático.

Quanto aos registros, preciso melhorar, já levei alguns puxões de orelha da Beloní.

Abraços a todos e parabéns por mais esse canal de comunicação, façamos um bom uso dele.

Jaime Luís Eckert Huppes

             Olá pessoal eu sou professor de Arte a oito anos, atuo em rede pública e me deparo a tempos com a questão do registro que a princípio parece ser um problema, mas é necessário.

             Penso que devamos perceber como um médico preenche seu registro com toda calma, mesmo que alguém esteja esperando na porta do seu consultório. Ele o faz com todo cuidado pois sabe que alguém poderá precisar de informações bem precisa sobre o paciente.

             O que quero dizer é que precisamos tomar o tempo para fazer o registro de aula e fazê-lo com todo cuidado de preferência ao se aproximar o final de nossa aula.

Beloní Cacique Braga

Olá professores

Registrar é uma ação natural do homem. Desde os primeiros desenhos nas cavernas as idéias já estavam sendo registradas. Os relatos dos professores Zenrique, Jaime e Paulo me trouxeram a memória um artigo interessante sobre esse tema. Deixo o endereço para que possam acessá-lo. O artigo "Registros e registros..." foi escrito pela professora Terezinha Guerra.

Tenham uma boa leitura e retornem para as discussões.

Enquanto isso, deixo um desafio: Quais são os registros mais frequentes que tenho feito sobre a minha prática?

http://www.artenaescola.com.br/pesquise_artigos_texto.php?id_m=17

Abraços a todos

Beloní

Monica Kondziolková

Olá Beloní, Zenrique, Jaime, Paulo, Sandra, Jairo, Aldeci e demais! 

Só entrei para dar uma dica. Quem quiser poderá inserir uma foto em "Edite seu perfil" que fica do lado direito inferior da página principal do Fórum. Ou, se preferir poderá escolher dentre as imagens da página aquela que mais tem a ver com você, com a sua personalidade ou aquela que mais vocês gostem! Acho que isso aproxima mais a conversa. Por falar nisso, acabei de inserir outra foto minha, que aparece para vocês junto com esta mensagem... Brinquedo novo é assim...

[]s,

Monica K.

José Henrique Braga

Olá Pessoal

Gostei muito da idéia em inserir as fotografias, é legal trocar mensagens com pessoas de longe, que talvez a gente nunca venha se encontrar pessoalmente,  portanto é muito ver a imagem, aliás para quem trabalha com arte a imagem vale muito não é mesmo?

Fico feliz em saber que o Jairo (Jairim passarim, essa é outra história), está em sala de aula, tenho plena certeza de que o sucesso é garantido.  Nos conhecemos a muito tempo e há alguns anos distantes por muito quilômetros, mas já pude conviver com essa pessoa criativa e que não se permite permanecer em lugar comum.

Coloca sua foto aí Jairinho!

Maria De Fátima Da Silva
                    Olá pessoal!
                    É de grande valor estarmos conversando sobre arte-educação. Isso já deveria estar acontecendo há muito tempo. Copiando Lulu Santos:  "a humanidade caminha com passos de formiga e sem vontade". Mas para aqueles que têm fé e acreditam na beleza das coisas, a partir da expressão das almas em evolução, veremos transformações significativas no Planeta Terra, que sofre pela ignorância de milhões...
                    Quanto ao registro de aula, só tem sentido se for feito para avançar  outras etapas. Estamos em um momento planetário que exige de nós a síntese, não podemos perder tempo com estagnações. Isso faz parte do mundo materialista que escravisou o indivíduo durante muito tempo e não contempla a ARTE...
                    É preciso viver o momento presente com simplicidade, se despir das posições sociais e profissionais alcançadas.
                    Quero cumprimentar o Zé que trabalha com os alunos de  forma  que eles aprendam com as experiências. O seu registro, com certeza será autêntico não estático...
                    Abraços a todos.
                    fatidesi@uol.com.br
Regina Aparecida Sparvoli Cardoso Da Silva

Olá,

Meu nome é Regina, eu gostaria de saber quem tem experiência de dança educativa, tenho que fazer um projeto, posso contar com a ajuda de vcs?

Beijos

Beloní Cacique Braga

Fala mestre...

A grande oportunidade da internet é promover intecâmbio de idéias e interlocuções em tempo ágil. Por isso a participação de cada professor em um fórum aumenta a riqueza dessas interações. O registro é movimento.... e somatória  de tantos outros movimentos que acontecem na escola, em particular na sala de aula.

A expressão "estático" citada pela prof. Maria de Fátima, causou em mim um enorme movimento e uma tremenda inquietação(coisa normal em mim, não estranhe rsrsrsrsrs)

Participei com meus alunos de uma visita em um museu como já contei em "Diário de Bordo" e não havia nada de estático. Em outra oportunidade tivemos uma aula dentro da tradicional "sala de arte" e também não havia estaticidade. Fiz o relato escrito dessas experiências e cabe ao leitor dar ao texto o devido movimento. O leitor de imagens ou e de um texto   precisa envolver-se na leitura e dar a ela uma nova movimentação, a sua própria, sem perder a intenção do escritor/artsista.

Admiro Rubem Alves que compartilha o pensamento particular sobre  as "idéias" que trancrevo em um trecho para nossa reflexão:

"As idéias têm idéias próprias - são dotadas de vida, resistem, lutam, determinam direções. Então é de se considerar a possibilidade de que o ato pelo qual se organizam não seja fruto das decisões do eu que pensa"  (...) Escrever é uma das minhas maiores alegrias."(Livro sem fim. Ed. Loyola, p.18.)

E ler um escritor como Rubem Alves é uma das minhas maiores alegrias. Os registros dele, em seus livros, animam  e movimentam continuamente as minhas idéias.

O registro deve ser um enorme movimento de idéias que foram "condensadas estáticamente no texto" por medida gramatical. O que não pode  nunca ser estática é prática  e a vida de professor.

Bom dia a todos com muito movimento  de idéias e vida.

Beloní

Anderson Leitão

Olá Tod@s!

Acho essa questão do registro muito importante. É preciso criar uma consciência reflexiva sobre o processo de ensino/aprendizagem. Acho que essa consciência só pode se consolidar com o exercício do registro permanente do processo de trabalho.

Por outro lado, vejo como é complicado fazer isso, pois somos forçados - por questões financeiras - a trabalhar em diversos locais ao mesmo tempo, o que deixa pouco tempo para realizar esses resgistros.

De minha parte desenvolvi o seguinte procedimento: no início do ano faço o planejamento para o ano letivo (como todos!), para cada turma tenho uma ficha onde registro o que foi trabalhado e o que faremos na próxima.

Nessa mesma ficha, deixo um espaço para anotar comentários ou observações feitas pelos alunos.

Tento encontrar um tempo para analisar essas anotações, normalmente ao fim de um bimestre. Esse procedimento é que (re)orienta o meu trabalho.

Abraços!

9506 visualizações | 29 respostas Faça login para responder