Forum
Jaimilton Ambrosio Dos Anjos

O que é um artista? É aquele profissional que ganha a vida produzindo arte e tem seu trabalho reconhecido pelo circuito artístico "da elite"? Ou é aquele que mesmo amadoramente faz uso da arte para se comunicar, aplicando de forma intuitiva conhecimentos técnicos básicos como  fazem os artistas populares?

E para que alguém seja hoje considerado artista, é realmente necessário que se domine o universo técnico das artes? E o que dizer sobre a arte contemporânea reconhecer pintores e gravadores que não dominam o desenho e escultores que não dominam as técnicas da escultura, mas compôem objetos tridimensionais.

Considero fundamental que o professor de artes conheça as técnicas plásticas tidas como clássicas, assim como as tendências visuais de vanguarda. Também é importante que o mesmo professor reconheça que não é mais necessário a um artista seguir as regras impostas pelos "legalistas da arte", que entenda e respeite as possibilidades obtidas pelas diferenças entre o conceito e a técnica.  Mas creio que alguém com essa disposição não deva ser necessariamente um artista profissional inserido no circuito artístico da elite.

Adriana Arcazas
Acredito que todo professor deve sim ser um artista, não no sentido de domínio de técnicas (plásticas, cênicas, musicais...) mas quanto a sensibilidade de possibilitar através de suas aulas que os alunos possam expressar e manifestar suas emoções através da arte . É evidente que como qualquer profissional ético deve conhecer o conteúdo de sua área e construir uma prática pedagógica comprometida e que garanta a aprendizagem com eficácia. Talvez o olhar estético do professor de arte deve ser mais evidente do que o de professores de outras áreas, embora quanto mais criativo for um professor , mas motivada será sua aula, principalmente se utilizar dos recursos artísticos para ensinar. A escola não tem o objetivo formar artistas, mas desenvolver o valor estético nos alunos, por isso o professor de arte precisa apresentar todas as linguagens para os alunos e permitir que eles experimentem, e possivelmente sairão matemáticos, cientistas, pintores, poetas com o potencial de transformar o mundo!
Eliana Tumolo Dias Leite
Acredito que o professor não precise ser um artista, assim como um professor de química não é necessariamente um químico ou matemático etc. Mas  se for, é mais fácil de contagiar os alunos. O professor precisa sim, ser bem informado, visitar museu, galerias, estudar as novas tendências e estar sempre muito atualizado, para que sempre possa falar do assunto com segurança. Na sala de aula buscar cativar seus alunos é o mais importante, dando a eles oportunidade de experimentar todas as linguagens, nossa missão não é torná-los artistas, mas fazê-los entender que a Arte é expressão e desenvolve a criatividade e o “SER” cidadão. Arte e política não podem estar separadas num mundo em que vivemos hoje.
Jose Alvim Almeida Da Silveira(manoalvim)

O  artista que aprendeu a ser professor sim. A pessoa aprende e se desenvolve para fazer arte, e no seu tempo consolidar-se como artista. Se a pessoa que  faz  arte, o artista, se dispuser a aprender e desenvolver - se  também como um professor de arte, por que não? O ser pode experimentar protagonizar como uma  pessoa, como artista e também como professor. O limite dos papéis que podemos protagonizar depende das nossas vontade, saúde e necessidade social.

Lucia Helena
BOA NOITE, PENSAR NUM PROFESSOR DE ARTES , MÚSICA, TEATRO UM ARTISTA, É O MESMO QUE PENSAR NUM CIENTISTA LECIONANDO CIÊNCIAS, UM ENGENHEIRO, LECIONANDO MATEMÁTICA, OU MESMO UM FILÓSOFO LECIONANDO FILOSOFIA. NÃO CREIO QUE SEJA NECESSÁRIO, POIS PARA FAZER NOSSOS ALUNOS SE APAIXONAREM PELA DISCIPLINA NÃO PRECISA DE QUE SEJAMOS ARTISTAS. TEMOS QUE FAZÊ-LO COM PAIXÃO, TEMOS QUE GOSTAR E APRENDER TODO DIA SOBRE NOSSA DISCIPLINA, POIS A ARTE NÃO É ESTÁTICA, ELA SE MOVE COMO NOSSAS MENTES , ELA AVANÇA COMO NÓS , CONOSCO E POR NÓS.PARA LECIONARMOS ARTE, ACREDITO FIELMENTE NA PROPOSTA TRIANGULAR DO SENSIBILIZAR, FAZER E CONTEXTUALIZAR. AO PROFESSOR DE ARTES EM GERAL CABE A FUNÇÃO DE ENSINAR ATRAVÉS DELA E COM ELA. TALVEZ UM ARTISTA POSSA SER UM PROFESSOR, MAS UM PROFESSOR , POR SI, JÁ É UM ARTISTA, ELE MODELA O SENSÍVEL DOS QUE POR ELE PASSAM. LUCIA HELENA
Loureni Parmigiani

Acredito que para ser Professor de Arte, não é necessário que seja um artista, ele deve ter alguma habilidade e amor pela Arte. Dessa forma ele vai estar transmitindo conhecimento e também possibilitando ao aluno ter essa mesma paixão pela disciplina.

Antonio José Da Silveira

Acredito que um professor de artes deva ter uma formação pedagógica necessária quer seja ele(a) artista ou não. O conhecimento sobre a arte é algo que se aprende e aprofunda, e está em constante desenvolvimento e pesquisa. Um professor de qualquer disciplina deve ter um conhecimento sobre a sua área que vá além do  fragmentado "senso comun" para que seja capaz elaborar estratégias (e escolher conteúdos caso específico da arte onde o conhecimento é amplo) através de uma reflexão consequente sobre sua prática, a experiência do aluno, seu contexto cultural, o conhecimento da disciplina e muita consciência do papel formador da escola.

Rose Mary Pinto Valverde De Carvalho

Conheci a arte através de minha mãe que dava aulas de arte em casa. Formei-me em Desenho e Plástica e comecei a dar aulas, mas não conseguia sobreviver como professora somente, e parti para outros caminhos (design e desenho industrial) até que anos depois retornei as aulas através de um emprego temporário e, posteriomente fiz um concurso. Não me sinto engessada no serviço público e acho essencial a experiência que tive fora do meio acadêmico, correndo atrás de informações, experimentando coisas e investindo no conhecimento de uma forma mais ampla. Pecebo que minhas aulas ficaram mais ricas em conteúdo, pois, posso mostrar aos alunos opções diferentes que abrirão o seu leque de possibilidades. Concluí este ano uma especialização em Arte, Cultura e Educação, que concretizou meu sonho de continuar estudando e me permitiu fundamentar o que tenho absorvido no dia-a-dia da minha profissão.

Acho essencial o professor ser apaixonado pelo que faz. Investir em materiais, pesquisar, buscar notícias novas, participar da vida cultural de sua cidade e principalmente não guardar só para sí, o conhecimento.

Nossa tarefa e despertar nos nossos alunos a vontade de mergulhar no conhecimento e procurar fazer o seu melhor. E, a melhor maneira de passarmos para eles nossas intenções é procurar dar bons exemplos e incentivá-los a encontrar seus próprios caminhos.

Bruno Fischer Dimarch

Acredito que o primeiro ponto seria pensar o que entendemos por "artista". Eu, particularmente, gosto de pensar como Beuys, que podemos ser escultores sociais - e nesse sentido podemos atuar como artistas ou professores, uma vez que o conceito está mais relacionado às intenções do que ao ofício. Educar para a arte sem relação direta com a arte me parece algo um tanto frágil (não impossível, frágil). Penso que a prática de arte, a frequentação aos locais da arte e a leitura sobre ela alimentam a sinceridade do professor em sua docência. Não é preciso que o professor seja artista stricto sensu, mas que se alimente de arte e sua aula seja uma extensão de si na relação com os alunos.  

Edina Regina Baumer

Acredito que o professor de Arte, na educação básica, deve preocupar-se com alguns saberes, mas principamente com os saberes didático-pedagógicos, que referem-se ao processo de ensino e aprendizagem, afinal é essa a profissão dele. Profissão de professor! A escola básica não pretende formar músicos, pintores, atores ou bailarinos e sim, oportunizar o contato e o conhecimento com as várias linguagens da arte, que por sua vez, fazem parte das diversas culturas. Logo, se houvesse a necessidade de que o professor fosse artista, teríamos que ter quatro professores artistas (no mínimo), ou um professor que se considerasse artista nessas modalidades.

O professor nos ateliês, conservatórios de música e escolas dramáticas e de dança, sim. Esse vai instrumentalizar os alunos que por ele procurarem para se constituirem artistas em uma ou outra linguagem.

Precisamos começar a entender que FORMAÇÃO ARTÍSTICA é diferente de FORMAÇÃO CULTURAL. Qual será a formação, entre essas duas, que é responsabilidade da educação básica, escola regular?

Polo Arte na Escola - Goiás
Bruno Fischer Dimarch escreveu:

Acredito que o primeiro ponto seria pensar o que entendemos por "artista". Eu, particularmente, gosto de pensar como Beuys, que podemos ser escultores sociais - e nesse sentido podemos atuar como artistas ou professores, uma vez que o conceito está mais relacionado às intenções do que ao ofício. Educar para a arte sem relação direta com a arte me parece algo um tanto frágil (não impossível, frágil). Penso que a prática de arte, a frequentação aos locais da arte e a leitura sobre ela alimentam a sinceridade do professor em sua docência. Não é preciso que o professor seja artista stricto sensu, mas que se alimente de arte e sua aula seja uma extensão de si na relação com os alunos.  



Olá Bruno, muito pertinente sua resposta. Li o fórum até o final e vi muitas respostas excelentes também! Acredito que o professor de artes (visuais, cênicas, música, dança, etc etc) seja para qual faixa etária for dar aulas, tem que ser uma pessoa que, de início, goste do assunto, que pesquise e frequente os espaços da arte, que conheça minimamente sobre história, teoria, crítica da arte, que investigue o que vem sendo produzido hoje, na contemporaneidade (afinal, as artes possuem seus campos específicos de conhecimento, penso ser uma pena que, ainda hoje, muitos profissionais de diversas instituições de ensino acreditem que qualquer profissional está habilitado a dar as aulas de artes). O professor de artes não precisa ser um artista no sentido de ser um profissional das artes, ou seja, aquele que busca viver da sua produção artística e que precisa lidar mais diretamente com suas estruturas mantenedoras (espaços expositivos, salões, mercado, instituições culturais, fundos de fomento, etc). O professor de artes (um profissional da área do ensino) pode, porém, experimentar processos de criação, pode esboçar projetos poéticos e dar andamento a eles até mesmo como uma espécie de metodologia de planjeamento para suas aulas (ou quem sabe, descubra aí o seu projeto artístico!). O professor deve exercitar manufaturas, pesquisar materiais e técnicas e, muito além disso, lapidar a sua sensibilidade. Tudo isso faz muita diferença na hora em que se está junto aos alunos, observando seus processos de investigação sensível. Eu acredito muito no trabalho de professores de artes que buscam aguçar sua própria percepção, que se permitem vivenciar processos de criação nas diversas linguagens das artes. Afinal... como ensinar/avaliar algo que não sabemos? E, em artes, esse saber vem também pela experiência, além dos conceitos aprendidos em livros/aulas/momentos teóricos, etc. Os conceitos sem a experiência sensível geralmente geram inúmeros equívocos, tais como propostas didáticas focadas em resultados finais (certos, bons, bonitos, etc), noções equivocadas de dom para as artes, e inúmeros outros problemas... Abraços, gostei muito do tema deste fórum, parabéns a todos, Manoela Afonso - Polo Goiás
Eliana Do Socorro Duarte Brandão
Bem, acredito que para ser um professor de arte não é necessáriamente ser um artista. Mas, você deve sempre estar em busca de algo novo para não se tornar repetitivo. Como professora devo dizer que as dificuldades são muitas. Uma delas a que me deixa muito triste é a visão de que a disciplina arte não é importante, como as pessoas (professores de outras disciplinas)  julgam a mesma sem conhecimento de causa e isso reflete aos alunos. Não sou artista, nem tenho muitas habilidades, porém busco sempre melhorar minha prática, estudando, pesquisando enfim, querendo sempre melhorar minha prática.
Sonia Maria Merszi

Ser artista ou não, é irrelevante. O importante é preocupar-se que os alunos desenvolvam habilidades  que ajudem a construir o seu conhecimento de maneira que possam resolver situações problemas no seu dia-a-dia, tornando-se cidadãos conscientes e participantes.

Vania H. Gevaerd Montibeller

Sou arte-educadora  a muito tempo,ja vi de tudo e já fiz muito coisa  ,algumas positivas outras nem tanto´,mas sempre procurando acertar.Posso dizer com  conviccção que nada mais necessário do que uma constante renovação través de cursos,leituras, filmes,visita a exposições...Não ,não há necessidade de ser um artista,pois quem trabalha com arte já o é. Abraço carinhoso à todos nobres colegas e atá o proximo debate.

Att

Vania Helena Gevaerd Montibeller

Paulo R M Rodrigues


Olá Mirca, já faz tempo que não me interesso pelos foruns. Mas achei esse muito interessante, pois condiz comigo. Parabenizo a professora Ana Marcia Akaui Moreira pela idéia.
Gostaria também de dar boas vindas ao
 mediar desta discussão o artista plástico, educador e museólogo, Paulo Portella Filho.

Como sou artista plástico e faço meus trabalhos paralelos, esse tema me faz olhar pra trás e lembrar que na maioria das vezes todos os meus trabalhos que foram bem sucedidos tinham a ver com meus próprios.

Tenho a impressão que a gente ensina aquilo que gostariamos de ter aprendido no passado. Na minha época de aluno tive muitas aulas baseadas em artesanato e a arte, a criatividade não acontecia, era tudo muito igual.

Acho importante que o professor tenha pelo menos a alma de artista.

5445 visualizações | 61 respostas Faça login para responder