Forum
Maria Leticia Rauen Vianna
Edson da Silva escreveu:
Maria Leticia Rauen Vianna, por gentileza, é possível disponibilizar a tese em pdf?
Atuo em Educação Infantil, Creche.
Poderei ampliar a possibilidade em mediar ações com as crianças pequenas, familiares e equipe de profissionais.
Agradeço pela oportunidade do diálogo.
Abraço Fraterno!
Edson
edson_da_silva@yahoo.com.br

Maria Leticia Rauen Vianna escreveu:
"... pesquisadora do assunto deste forum no Brasil. Este foi o tema de minha tese de doutorado defendida na ECA/USP, que contou com um estágio sanduiche na Sorbonne em Paris, de onde trouxe informações inexistentes no Brasil, que ajudaram a esclarecer a questão. Inclusive, criei um método para trabalhar com os professores, para 'desestereotipizar' o desenho deles e mudar suas posturas pedagógicas.  Publiquei artigos sobre o tema e dois deles vocês encontram disponíveis no site do arte na escola, no link Pesquise! Os artigos são: "Desenhos estereotipados: um mal necessário ou é necessário acabar com este mal? " e "Das idées reçues francesas aos desenhos recebidos brasileiros". Meu livro sobre o tema está sendo publicado e deve sair em setembro próximo. Gostaria de ter os e-mails de vocês para enviar comunicado sobre seu lançamento. O título do mesmo é: DESENHANDO COM TODOS OS LADOS DO CÉREBRO. Por hora, acho que tenho muito a contribuir com o forum se vocês lerem meus artgos...Fico no aguardo de contatos de vocês.  Obrigada Leticia  
Oba! Uma professora já respondeu!! Sandra Cadore, adorei..BJ Leticia


Olá Edson. Infelizmente não será possivel. Quando escrevi a tese, há 10 anos atrás, não havia midia que coubesse a tese toda, que tem muitas imagens..Então, os arquivos que a compôem estão dispersos, de modo que não é possivel enviá-los. Peço que aguarde meu livro. Não deixarei de avisá-lo, pois agora tenho seu e-mail.. Um forte abraço Leticia

Pétira Maria Ferreira Dos Santos
Caros colegas
   Esse é um tema de fundamental importância para o ensino da arte, só veio a somar no processo ensino aprendizagem, levando o pofessor a refletir sobre a produção do desenho infantil da criança, através de representações e produções artísticas no ambiente escolar.  Na Educação Infantil, o desenho oportuniza ao aluno o desenvolvimento individual ou grupal, para que ele possa integrar com materiaisdiversos, utilizando procedimentos variados, e ter respeito ao seu trabalho e dos seus colegas também.
   A Produção artística acontece, quando o aluno aguça sua percepção, imaginação, emoção, sensibilidade e a reflexão ao realizar e fluir produções artísticas que facilitam a compreensão de outras áreas de conhecimento.
  O desenho infantil desperta a coordenação motora, criatividade e a concentração do aluno, retratando o pensamento, o gosto estético e artístico.
Pétira
Eliane de Fátima Vieira Tinoco

Maria Letícia,

A Maria Lúcia já havia me dito pessoalmente que você e o Darras falavam sobre imagens diferentes. E foi por esse motivo que eu citei o texto dela pois ainda não tenho claro quais são essas diferenças. Por esse motivo acho que é importante a proposição feita pela Denise de se postarem imagens. Infelizmente há muitos anos estou fora da sala de aula e não tenho imagens recentes comigo. Vou verificar em meus arquivos e ver se fotografo algumas para colaborar com a discussão.

Estou gostando muito!

Jefferson Passos
Eliane de Fátima escreveu:

Ah! Esqueci de falar ao professor Jefferson que sou a coordenadora do Pólo UFU (Uberlândia- MG) da Rede Arte na Escola e que temos aqui no pólo alguns materiais e livros para empréstimo aos professores.

Também esqueci de dizer a todos que sou coordenadora do comitê de publicações da Rede Arte na Escola e que gostaria muito de receber seus relatos de experiência pelo link sala de aula no site. Lá estão especificados os caminhos a seguir para a construção dos relatos. É muito importante compartilhar experiências exitosas. Aguardo vocês.


OI Eliane, não sei se você se lembra mas fui seu aluno na UFU, quando fazia Artes Visuais. FIco feliz em tê-la aqui. Quero saber mais sobre o polo arte na escola, quando são os encontros eu Udi, depois me passa essas informações por email: jefferson.artes@bol.com.br

Quanto aos materiais de emprestimo, quero dar uma olhada sim...

Agora, com o forum, estou gostando muito do que estou lendo. O desenho das crianças sempre me instigou e os estereótipos me incomodam... por isso dei a sugestão do tema. Mas estamos tendo boas reflexões. Vou verificar imagens de trabalhos de alunos para colocar aqui...


Jocelia Bomfim

Olá,

Comentando sobre o tema, sou academica de artes visuais em Curitiba e moro na região metropolitana, tenho uma angustia muito grande com relação ao desenho desde minha infançia, até por minha estrutura familiar etc..

Como sou academica ainda, me sinto um pouci fresca para contribuir com algo que possa contribuir, mais o que percebo cada vez mais, é estas distribuições mesmo de cópias, e pinte o desenho o que é isso? Tenho comigo que as garatujas devem ser respeitadas, valorizadas para que ísso realemnte proporcione o desenvolvimento de nossas crianças, porém poucos tem esta sensibildade e infelizmente a familia com poucos recursos que o caso da maioria dos Brasileiros, não tem noção desta grande importançia.

Gostaria de adquirir este livro, e aguardo ansiosamente pela sua publicação.

Parabéns pelo tema!

Jocelia

Maria Leticia Rauen Vianna
JOCELIA BOMFIM escreveu:

Olá,

Comentando sobre o tema, sou academica de artes visuais em Curitiba e moro na região metropolitana, tenho uma angustia muito grande com relação ao desenho desde minha infançia, até por minha estrutura familiar etc..

Como sou academica ainda, me sinto um pouci fresca para contribuir com algo que possa contribuir, mais o que percebo cada vez mais, é estas distribuições mesmo de cópias, e pinte o desenho o que é isso? Tenho comigo que as garatujas devem ser respeitadas, valorizadas para que ísso realemnte proporcione o desenvolvimento de nossas crianças, porém poucos tem esta sensibildade e infelizmente a familia com poucos recursos que o caso da maioria dos Brasileiros, não tem noção desta grande importançia.

Gostaria de adquirir este livro, e aguardo ansiosamente pela sua publicação.

Parabéns pelo tema!

Jocelia

Olá Jocélia. Aguarde pra setembro! Mas, se quiser que eu avise por e-mail, preciso do seu endereço eletrônico! Por favor, me mande! Obrigada Leticia

Maria Leticia Rauen Vianna
Sandra Suely dos Santos Francisco escreveu:

Pertinente este fórum sobre o desenho da criança. E sobre o desenho Clarisse Lispectro diz que “o que lhe atrapalha a escrita é ter que usar palavras”. Tomando essa fala como referencia, penso na importância do desenho na escola e na vida. E o que é desenho?

A criança, desde os anos iniciais, pesquisa e descobre formas. Ela imprime suas descobertas no ato do desenho. Através do desenho ela descobre e escreve, sendo que este não é a forma, mas sim, a maneira como a criança vê a forma. E quais são as formas que a criança vê?

O que a escola promove aos (nos) alunos quando lhe impõe os desenhos estereotipados?

O que faz com os desenhos estereotipados que os alunos já trazem de casa? Como promover o retorno?  Nesse sentido fiquei curiosa com os escritos da monografia da Profa. Paula Regina de Vargas. Gostaria de ler. Onde encontro?

Alguém pode informar qual a editora que lançará o livro da Profa. Letícia?

Olá Sandra. EU, a autora, posso sim te informar a editora: é a IBPEX, aqui de Curitiba e o livro será distribuído pela Livraria Saraiva, em todo o Brasil. Aguarde pra setembro deste ano. Se quiser receber a comunicação de seu lançamento, por favor, me envie seu e-mail. Enquanto isso, não deixe de ler meus dois artigos, no site do Arte na Escola, como já escrevi em outras mensagens do forum..Um forte abraço Leticia

Jefferson Passos

Professora Letícia, também quero ser informado do seu livro. Meu e mail: jefferson.artes@bol.com.br

E posso dar uma suestão? Voce poderia sortear alguns para os participantes do Forum? Bom, não custa perguntar, não é?

Abraços. Jefferson

Maria Leticia Rauen Vianna
Jefferson Passos escreveu:

Professora Letícia, também quero ser informado do seu livro. Meu e mail: jefferson.artes@bol.com.br

E posso dar uma suestão? Voce poderia sortear alguns para os participantes do Forum? Bom, não custa perguntar, não é?

Abraços. Jefferson

Olá Jeferson. É uma boa idéia esta sua! Por enquanto nada posso prometer, pois o livro ainda não existe fisicamente, nem tem preço, nem sei se terei alguns exemplares pra presentear, enfim..se for possivel, posso sortear sim...Aguarde pois! Um forte abraço e obrigada por seu interesse. Leticia

Katiana Queiroz
Olá! sou coordenadora pedagógica de um centro de educação infantil aun ano! trabalhei no Proinfantil e isto me orientou bastante sobre o desenho na educação infantil dentre outras coisas. fico muito mal quando vejo professores ainda colocaren numa folha o titulo: desenho livre e não aproveitar este momento pra explorarem estorinhas, assuntos da comunidade, entre tantas coisas que podem ser explorados através dos desenhos. qual a opinião de vcs?  q sugestões posso trabalhar com esse tipo de professor?! um abraço
Denise Nalini
Jânia M.P. Sucupira escreveu:
Eu vou selecionar alguns estereótipos que tenho comigo de alunos da educação infantil e postar aqui mais tarde. Sol entre nuvens, a famosa casinha, os morrinhos, os bonequinhos com as mãos escondidas, o sol entre morros, a ilha. São reproduções que eles aprendem com o professor de primário e seus coleguinhas. Aliás, as crianças passam muito tempo colorindo  em sala de aula, entre uma atividade e outra,desenhos prontos de personagens infantis onde o fundo é uma paisagem estereotipada igual as mencionadas acima.
Jânia , que interessante coloque mesmo ajuda muito a pensar em que modelos e quais imagens as crianças estão se referindo.
Fico pensando pela minha prática de formação que mesmo crianças que tem propostas diferenciadas tem um momento que desenham esses modelos . Avalio que a questão é mesmo pensar sobre quais propostas podem ser instigadoras para que as crianças possam elas mesmas se sentirem desafiadas a ir além . Quanto aos professores , acho importante ir além da culpabilização ou da busca de um culpado por essa ou aquela prática, todas as práticas são frutos de determinados momentos históricos e todo professor precisa assim como os alunos ser desafiado a ir além . Aguardo as produções e obrigado 
Denise Nalini
Katiana Queiroz escreveu:
Olá! sou coordenadora pedagógica de um centro de educação infantil aun ano! trabalhei no Proinfantil e isto me orientou bastante sobre o desenho na educação infantil dentre outras coisas. fico muito mal quando vejo professores ainda colocaren numa folha o titulo: desenho livre e não aproveitar este momento pra explorarem estorinhas, assuntos da comunidade, entre tantas coisas que podem ser explorados através dos desenhos. qual a opinião de vcs?  q sugestões posso trabalhar com esse tipo de professor?! um abraço

Olá Katiana,
Acho super importante a sua preocupação e avalio que precisamos pensar nas situações que são propostas aos professores. Acho importante sempre considerar que a aprendizagem é um longo processo e que requer não apenas uma , mais uma sequência de atividades formativas que possam ajudá-lo a entender não apenas das diferentes tempos do desenho infantil como das possibilidades de cada momento. Vou além não me preocupa, apenas a folha em branco com o título, mas entender o que seria uma proposta de desenho livre, essa proposta me parece que linka muito com um momento em que o trabalho com artes estava vinculado a um fazer pelo fazer. Ir além é propor ao professor, atividades que trabalhem com os elementos da linguagem do desenho como a linha, forma..., com apreciações que possibilitem ao seu grupo pensar no que de fato querem que as crianças aprendam, nesse contínuo formativo nasce a possibilidade da mudança .
beijocas e obrigado pela sua contribuição
Maria Leticia Rauen Vianna
suzana barbosa de castro escreveu:

O esteriótipo esta presente na vida do professor desde o Magistério (é claro para os que o fizeram) quando tínhamos aulas de desenho pedagógico...e  ficávamos ansiosos para por em prática as infindáveis pastas...iguaizinhas a da professora...rs
Ou quando criança "Euzinha" que tinha uma certa afinidade com o desenho... minha mãe acho que pressentindo minha vocação para a arte, matriculou-me em uma escola de desenho...rs acho que deveria chamar "escola de esteriótipos"... Copiei toda a pasta da professora...tecnicamente ótimos mais igualzinhos com os da professora...
Por fim quando fui pra faculdade com aquela pastinha de desenhos achando que ia ser o máximo...rs percebi que deveria desaprender tudo..rs
Desaprendi graças a Deus...e sei da nossa responsabilidade enquanto professor de arte. A criatividade só é sentida e  produzida quando provocada. Quando saberemos se estamos diante de  novos Picassos, Van Goghs se todas as crianças continuarem a esperar que o professor o diga o que fazer e quando fazer, mesmo sabendo que o seu trabalho é único e cheio de significados....     (como a Flor vermelha do caule verde)
Outra questão bem importante é a seguinte, somos seres humanos passíveis de erros, tudo bem colocar a culpa em alguém, mas agora  alguns municípios já possui o especilista de arte na educação infantil e até mesmo na creche....e agora José de quem é a culpa?

Olá Suzana. Veja por favor, em uma outra mensagem, anterior, o que escrevi sobre a palavra ester-E-ótipo e não ester-I-ótipo como você escreveu. Leia tb meus artigos, já indicados neste forum que estão no 'Pesquise' do site arte na escola. Tb já os citei em mensagens anteriores e têm muito a ver com o que você conta da sua experiência como aluna.. Aliás, acho sempre importante que quem entra no forum, leia TUDO o que já foi escrito antes.. Poupa tempo e retrabalho...Um abraço Leticia

Silemar Maria De Medeiros Da Silva

Oi...Sou coordenadora Geral do Arte na Escola Pólo/Unesc. Mas é como professora de educação infantil que me arrisco a comentar um pouco sobre esse assunto que tem fomentado inquietações não apenas nesse Fórum, o qual vem comungando com questões trazidas por nossos professores.

Não creio que possamos "combater", tão pouco "achar culpados" - ou mesmo achar que o esteriótipo é algo que deva ser excluído do nosso repertório de professores de artes (enquanto preocupação) - tenho dúvidas com relação a própria afirmação que trago...o Fórum mexeu com minhas dúvidas.

Penso que quanto mais evidenciarmos essa preocupação, menor será a nossa energia para criarmos novos caminhos, ampliarmos nosso repertório que possa interessar o universo das crianças. Ler e contar boas histórias, ver filmes (para podermos melhor selecioná-los), ampliarmos nosso olhar com relação ao universo das crianças - dos seus interesses e suas possibilidades, nos dariam subsídio para que criassemos novos desejos e sonhos... Comungo com todas as preocupações, me vejo também fazendo perguntas e tentado melhor compreender a ação de alunos que apresentam muita dificuldade em "deixar de desenhar algo que  foi elogiado". O importante é percebermos a criança como produtora de cultura e fazermos com que ela acredite nisso, não é?

Aprendo a desenhar desenhando... aprendo a conhecer melhor as crianças convivendo com elas...

Jefferson Passos
Silemar Maria de Medeiros da Silva escreveu:

Oi...Sou coordenadora Geral do Arte na Escola Pólo/Unesc. Mas é como professora de educação infantil que me arrisco a comentar um pouco sobre esse assunto que tem fomentado inquietações não apenas nesse Fórum, o qual vem comungando com questões trazidas por nossos professores.

Não creio que possamos "combater", tão pouco "achar culpados" - ou mesmo achar que o esteriótipo é algo que deva ser excluído do nosso repertório de professores de artes (enquanto preocupação) - tenho dúvidas com relação a própria afirmação que trago...o Fórum mexeu com minhas dúvidas.

Penso que quanto mais evidenciarmos essa preocupação, menor será a nossa energia para criarmos novos caminhos, ampliarmos nosso repertório que possa interessar o universo das crianças. Ler e contar boas histórias, ver filmes (para podermos melhor selecioná-los), ampliarmos nosso olhar com relação ao universo das crianças - dos seus interesses e suas possibilidades, nos dariam subsídio para que criassemos novos desejos e sonhos... Comungo com todas as preocupações, me vejo também fazendo perguntas e tentado melhor compreender a ação de alunos que apresentam muita dificuldade em "deixar de desenhar algo que  foi elogiado". O importante é percebermos a criança como produtora de cultura e fazermos com que ela acredite nisso, não é?

Aprendo a desenhar desenhando... aprendo a conhecer melhor as crianças convivendo com elas...

Boas observações. A constante preocupação com essas questões nos deixa menos forte, realmente... è inquietante pensar que nos preparamos, pesquisamos, propomos inovações e na hora de criar, nossos alunos apelam para as fórmulas prontas. Por mais que eu sugira fazer diferente, alguns são bem relutantes e dizem "não se", " não vou dar conta", sem ao menos se propor a tentar.


Vejo boas experiências e discussões nesse fórum. Estou me questionando diante de tantas observações aqui apresentadas. Ainda temos um tempinho pradiscutir. Logo maissugiro que passemos a organizar as apontações mais relevantes.

Abraços a todos!

17040 visualizações | 85 respostas Faça login para responder