Sala de Leitura
Artigos

Os Artigos aqui apresentadas são de responsabilidade de seus respectivos autores. O Instituto Arte na Escola propõe sua leitura como fonte de pesquisa e estudo.

O ensino de Arte na Rede Pública do estado do Espírito Santo: uma análise de sua aplicabilidade no espaço escolar

RESUMO - O Ensino da Arte na Educação Básica enfrenta desafios mesmo depois de dezessete anos de promulgada a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDB nº 9394/96 determinando sua obrigatoriedade em toda Educação Básica, pois não há professores habilitados atender a demanda das escolas. No Estado do Espírito Santo investimentos e ações têm sido desenvolvidos, porém constata-se a carência de profissionais habilitados para a regência de ensino de arte. A Secretaria de Estado da Educação do Espírito Santo (SEDU), por meio da Assessoria de Esporte e Cultura na Escola tem realizado de ações de formação continuada visando a construção de conhecimentos em ensino de arte, tais como cursos, seminários, workshops para professores, concertos musicais didáticos, espetáculos cênicos didáticos e visitas às exposições de artes visuais, eventos em Educação e Arte. Considerando que no estado não há número suficiente de professores habilitados em Artes Visuais, menos ainda em licenciatura em Música, estabeleceram-se parcerias para a Formação Continuada dos professores já atuantes nas escolas da rede pública estadual. Dentre as ações de formação continuada com o professor, a que tem envolvido o maior número de professores e que tem alcançado maior efeito dentro do espaço da escola é a parceria estabelecida com o Serviço Social do Comércio do Espírito Santo – SESC/ES, cujo setor de cultura tem proposto desde o ano de 2010 a Formação com professores de Arte em diferentes linguagens artísticas. Não defendemos a polivalência e consideramos fundamental que o Ensino da Arte seja lecionado por professores habilitados de acordo com sua formação na linguagem artística, no entanto, esta não é a realidade que vivemos, assim, temos buscado meios de proporcionar subsídios aos professores para que possam elaborar e desenvolver seus projetos nas diferentes linguagens. Paralelamente, vamos mudando formas de percepção e valorização da Arte para a formação do aluno por parte de nossos pares na comunidade escolar e buscando meios de ampliar espaços para o Ensino da Arte. Acesse aqui o texto completo.

 

Palavras chave: Ensino de Arte. Formação Continuada. Aprendizagem.

 

Artigo apresentado em:

CONGRESSO NACIONAL DA FEDERAÇÃO DOS ARTE-EDUCADORES DO BRASIL - Confaeb: Arte/educação no pós-mundo, 23. Anais. Porto de Galinhas, 2013.




Comentários Deixe o seu comentário

  • Nenhum comentário foi encontrado para o conteúdo acima.

Deixe o seu comentário

Os campos assinalados com (*) são de preenchimento obrigatório.




Envie seu artigo

Compartilhe o seu conhecimento adquirido durante sua pesquisa.

Faça o login para enviar seu artigo

Filtrar artigos

Ver todos os artigos