Artista & Obra

ROBERTA ESTRELA D’ALVA(Diadema/SP – 1978)

Roberta Estrela D’Alva é uma atriz-MC, cantora, diretora, pesquisadora... Sua presença como artista percorre uma miríade de caminhos.


Roberta faz parte – e foi uma das fundadoras – do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos, uma companhia que mistura Hip Hop e Teatro. O Hip Hop em si já traz muitas linguagens: dança, música, artes visuais, performance. Mas o Núcleo Bartolomeu de Depoimentos conseguiu criar uma expressão própria dentro desta multiplicidade. O Teatro Hip Hop é, enfim, um conceito originalmente brasileiro e quer decolonizar o pensamento.

Também não se pode falar de Roberta Estrela D’Alva sem falar em Slam. Ela foi uma das precursoras das batalhas de poesia falada no Brasil. O Slam tem 3 regras básicas: os poemas têm que ser próprios, com no máximo 3 minutos, sem acompanhamento musical. É o poeta e sua voz, apenas.

Seja com a performance poética do Slam ou como atriz-MC no Teatro Hip Hop, Roberta é uma artista que discute lugar de fala, representatividade, autoexpressão: do lugar onde você está hoje, conte a sua história. Não é preciso que ninguém conte por você.

ANTÍGONA RECORTADA - CONTOS QUE CANTAM SOBRE POUSOPÁSSAROS

No mito de Antígona – clássica tragédia grega de Sófocles – a heroína batalha para enterrar com dignidade o irmão, morto na luta contra os tiranos de Tebas. Com esta reivindicação por justiça que nunca deixou de ser atual, o Núcleo Bartolomeu de Depoimentos entrelaça Teatro Épico e Hip Hop na peça Antígona Recortada.

Claudia Schapira assina a dramaturgia, Eugênio Lima é o diretor musical e DJ que performa ao vivo. Luaa Gabanini e Roberta Estrela D’Alva são as atrizes-MCs que interpretam duas irmãs, moradoras de “alguma periferia do mundo”, que lutam pelo direito de sepultarem dignamente seus mortos e darem a eles o devido repouso.

Nesta obra de criação coletiva, as narradoras MCs articulam ritmo e poesia falada. A “ágora” é minimalista. No espaço cênico, só estão microfones e equipamentos de DJ. O lugar de destaque é da Palavra. Elemento central do Teatro Hip Hop, a Palavra é a força que se materializa de diferentes maneiras para empoderar as Antígonas contemporâneas em sua busca por justiça.