Relatos de Experiência

Os Relatos de Experiência são de responsabilidade de seus respectivos autores. O Instituto Arte na Escola propõe sua leitura como fonte de pesquisa para o professor.

Arte no Trânsito, e para o Trânsito!

Ler imagens é adentrar em formas, linhas, cores, volumes e particularidades que resultam em interpretações que dependem de suas vivências, experiências anteriores, lembranças, imaginação enfim do seu repertório de saberes. A leitura de imagens, “implicará também no desenvolvimento das habilidades de ver, observar, reconhecer, refletir, compreender, analisar, interpretar como vetores da construção do saber para um entendimento mais claro das mensagens visuais.” (BUORO, 1996, p.42)

Para tanto é importante oferecer aos alunos os fundamentos necessários para uma leitura ampla de mundo, na qual seja possível compreender o objeto artístico relacionado às questões postas em cada momento histórico, em especial, àquelas de nosso próprio tempo e lugar, assim como Paulo Freire (1996, apud. NEVES, et al 2003, p.24) dizia, que o importante não é ler mecanicamente, mas vinculando linguagem e realidade, o que irá ampliar a leitura de mundo.

Pensando nessa afirmação é que foi desenvolvido um projeto para abordar o tema da EDUCAÇÃO NO TRÂNSITO. Educação muito necessária, tendo em vista os inúmeros acidentes de trânsito ocorridos na cidade e região, devido a isso surgiu a missão junto com os alunos de chamar a atenção da comunidade e principalmente dos motoristas, com trabalhos artísticos realizados através da releitura das imagens de artistas famosos, possibilitando assim, através da arte, momentos de aprendizado sobre a mesma e as leis de trânsito para que haja uma maior conscientização dos alunos e da comunidade, auxiliando assim no resgate aos valores da vida.

No ateliê de desenho e pintura Contraste Artes, os alunos que frequentam o ateliê e que estudam nas diversas escolas públicas e privadas da cidade de Não-Me-Toque do RS, fizeram uma pesquisa de imagens de obras de arte, e desenhos animados que conhecessem e que mais lhe despertassem atenção e curiosidade.

Após a pesquisa eles fizeram as leituras, estudaram a obra e vida do artista escolhido e em seguida realizaram as releituras no qual criaram suas imagens, através de suas percepções, transmitindo assim, seus conhecimentos e dando novos significados.

Em seguida pesquisaram as leis e normas do trânsito, no qual cada aluno se apropriou de uma lei ou norma para fazer a sua releitura na obra de arte pesquisada. Algumas da obras lidas foram Monalisa, de Leonardo da Vinci : Na releitura a Monalisa é mais jovem e usa cinto de segurança além dos bancos da frente também no banco de trás de um veículo.

Na obra Abaporu, de Tarsila do Amaral; Abaporu mostra seu pé pisando no freio, para destacar a importância de dirigir em baixa velocidade em meio urbano e a preocupação com o excesso de velocidade. Já na obra Sol Poente, de Tarsila do Amaral, sua releitura mostra os perigos dos horários para viajar, quando o sol interfere na paisagem e acaba por prejudicar a visibilidade do motorista.

Na obra do artista Roy Lichtensein uma personagem de sua história em quadrinhos é vista chorando no parabrisa do veículo no qual uma garrafa de álcool esta dirigindo. Além destes exemplos tem-se um total de 22 imagens desenhadas e pintadas com lápis de cor, grafite e giz pastel, criadas em tamanho A3, e que foram ampliadas em forma de adesivo para uma maior durabilidade das imagens, tendo em vista as interferências do tempo, em um tamanho de 100X60cm no qual foram fixadas em meio às ruas das avenidas da cidade, (Avenidas Dr. Waldomiro Graeff e Alto Jacüí), nos quais são vistas por todos os moradores, transeuntes e visitantes de Não-Me-Toque.

Este projeto envolveu o governo municipal, as escolas, os orgãos do trânsito, os pais dos 22 alunos das duas escolas particulares, três municipais e duas estaduais do município com faixas etárias de 9 a 17 anos de idade. O projeto iniciou e foi exposto em 2008 em meio às ruas, e permaneceu até novembro de 2010. Estas novas criações hoje interferem na vida de muitas pessoas. Elas acabaram por auxiliar no resgate dos valores no trânsito, através da arte exposta em meio as ruas, um lugar fora do ambiente convencional como museus, galerias, que muitas vezes não chega nas “mãos” de todos. Além de estimular a criatividade dos alunos, a conscientização, as releituras passam uma mensagem educativa no, e para o trânsito.

E tudo isso foi se desenvolvendo da seguinte forma:
Cada aluno começou a sugerir o que achava melhor fazer para que houvesse uma conscientização maior da comunidade e assim reduzisse o número de acidentes.

Registros da minha vivência

  • Diminua A Velocidade
  • Use Cinto E Segurança
  • Se Dirigir Não Beba
  • Se Dirigir Não Beba (imagens Que Foram Fixadas Nas Placas)
  • Horário Desfavorável

Fizemos uma análise do que mais chamava a atenção deles, cartazes, propagandas de TV, anúncios em jornais, folders distribuídos nas ruas, enfim diversas comparações e dentre tantas, a que mais se destacou neste bate papo foi as imagens que viam, imagens de acidentes, isso que mais marcava a eles.

Portanto sugeri então a criação de imagens que mostrassem às pessoas o correto, mas então lancei outra questão,onde colocaremos estas imagens? Nas escolas, nos jornais, uma exposição em uma galeria, até que surgiu a ideia da rua, por se tratar de fazer com que os motoristas e pedestres as visualizassem. Após o planejamento do projeto alguns alunos e eu fomos até a prefeitura mostrar o projeto representado em desenho, para que houvesse autorização. A prefeitura encaminhou a outros órgãos como o conselho de trânsito e ao DETRAN para que não houvesse nenhum impedimento.

A proposta foi muito aceita, inúmeras empresas locais fizeram questão de participar para pagar os gastos do projeto. Os alunos se envolveram, foram comprometidos, pesquisaram muito em casa com ajuda dos pais, e em sala de aula após a pesquisa de imagens e dados importantes, eles elaboraram os croquis dos desenhos individualmente e aos poucos começaram a desenhar em tamanho A3 as imagens.

Meus objetivos foram alcançados pelo envolvimento dos alunos, pais e a comunidade, que perceberam como a arte pode além de ser uma forma de expressão do indivíduo uma forma de comunicação de uma ideia, ensino e aprendizagem.

Este projeto buscou colaborar com os problemas do trânsito de uma maneira simples e atrativa para a solução dos problemas, pois além de ficar visível para os moradores e transeuntes da cidade o projeto teve repercução a nível estadual, por jornais como o Zero Hora e a televisão RBS TV e TV Pampa que divulgaram a ideia em seus veículos de comunicação.

Julgo importante socializar este projeto para que outros vejam como é possível apropriar-se do recurso da releitura para divulgar a arte dos nossos alunos em locais não convencionais para que assim possamos juntos sensibilizar mais a humanidade com a arte.

Referências bibliográficas

ARGAN, Giulio Carlo. Arte Moderna São Paulo: Companhia das Letras, 1992.
ARHEIN, Rudolf. Arte e percepção visual. 9ª Edição. São Paulo: Pioneira, 1995.
BUORO, Bueno Anamémia; ATIBÉ, A. Eliana De sol a sol: a arte e o trabalho em obras de Eugênio Sigaud, Djanira da Motta e Silva, Sebastião Salgado
Ed: Companhia Editora Nacional, 2008. (Coleção Arte na Escola. O leitor de imagens)
GOMBRICH, E. H. A História da Arte. São Paulo: Martins Fontes, 1998.
HAYES, Colin. Guia Completo de pintura y dibujo, técnicas y materiales. Barcelona.H. Blume Ediciones. 1980.
OSTROWER, Fayga. Universos da arte. Rio de Janeiro: Elsevier Editora, 2004.

No site: http://www.silviatrentin.com.br/?menu=repor1 podem ser vistos os vídeos das emissoras de televisão que filmaram o projeto.

Palavras-chave:

Comentários Deixe o seu comentário

  • MARIA , 11:03 - 07/08/2013
    Isso é muito bom.
  • Andreza, 22:14 - 01/05/2014
    Muito bom esses trabalhos que a professora fez com os alunos, muito interessante, eu amei esses trabalhos, são incríveis, parabéns. Eu pretendo ser uma futura professora de artes, faço faculdade de artes. Alguma dica para ser uma boa professora de arte?
  • Nancy, 19:52 - 02/04/2015
    Trata-se de uma proposta muito significativa, dinâmica e lúdica. Parabenizo a professora Sílvia pelo empenho e dedicação para desenvolver uma atividade que levasse em consideração o interesse dos alunos.
  • Ideane, 13:56 - 14/06/2019
    Nossa que legal! Parabéns pelo projeto! A Arte realmente é um campo fantástico o qual podemos nos utilizar nos mais variados campos

Deixe o seu comentário

Os campos assinalados com (*) são de preenchimento obrigatório.




Envie seu relato

Compartilhe a sua prática no ensino de Arte. Conte como foi realizado o seu trabalho em sala de aula de forma simples e didática e sirva de exemplo para outros professores.

Faça o login para enviar seu texto

Filtrar relatos de experiência

Ver todos os relatos