Sala de Leitura
Artigos

Os Artigos aqui apresentadas são de responsabilidade de seus respectivos autores. O Instituto Arte na Escola propõe sua leitura como fonte de pesquisa e estudo.

Registros e registros...

Educadora com ampla experincia em capacitao tcnica de professores, produziu inmeros textos, vdeos e publicaes sobre arte e educao, para secretarias de educao, instituies nacionais e internacionais, tendo integrado a equipe do Centro de Estudos e Pesquisas em Educao e Ao Comunitria (Cenpec).

Pois , basta nascermos e algum j corre a providenciar nosso registro! Outros tantos viro pela nossa vida afora, memrias vivas do que j fomos ou fizemos: diplomas, certides, certificados e quantas e deliciosas fotos de aniversrios, formaturas, casamentos, natais, viagens... E nossos dirios e agendas de adolescentes? Quantos registros de momentos mgicos, de sonho e tambm de tristezas, na poca parecendo insuperveis? Sim, somos seres de registros, precisamos deles! Alis, segundo Vygotsky, o que nos diferencia dos animais o exerccio do registro. Desde os tempos mais remotos, em que nossos ancestrais desenharam nas paredes das cavernas at os dias de hoje, em que grafiteiros pintam os muros das grandes cidades, o ser humano sente a necessidade de deixar sua marca por onde passa. Histrias gravadas em pedras, papis, filmes, fotos...

Enquanto professores, tambm somos agentes de uma histria compartilhada por dezenas de alunos e, nesse percurso, deixamos marcas, elaboramos registros... Mas, o que seriam registros, nas aulas de arte?

Na verdade, todas as produes dos alunos - escritas, desenhadas, cantadas, representadas, danadas... - so registros. Demonstram de que forma relacionaram, pensaram, simbolizaram, apreenderam, articularam determinados contedos e de que maneira esses se concretizaram, se sintetizaram em recortes do conhecimento apreendido.

O aluno, quando registra, se situa melhor dentro dos contedos desenvolvidos, estabelece relaes entre o que j sabe, o novo e outras reas do conhecimento. D sentido ao que aprendeu, torna-se mais crtico e exigente em relao a si mesmo e ao ensinar/aprender arte. Percebe seu percurso e tem bases mais slidas para proceder a uma auto-avaliao.

Elaborar registros escritos fundamental na aula de arte, pois o ato de escrever sobre aquilo que se aprendeu - ou se ensinou - faz refletir, organiza o pensamento e sintetiza idias de forma consciente, mais profunda, num exerccio de apropriao do conhecimento e de construo de significaes.

Para o professor, o ato de registrar - intimamente ligado ao ato de avaliar - possibilita a melhor percepo dos progressos, obstculos, retrocessos e limites de seus alunos, assim como permite efetuar as intervenes imediatas e apontar possveis encaminhamentos. Cada momento de registro tambm uma pausa para se repensar a prpria prtica pedaggica, rever caminhos, tentar novas possibilidades e reafirmar certezas.

Pedir, observar e interpretar os registros dos alunos requer um olhar que v alm das aparncias, que busque os significados estticos, simblicos, cognitivos; um professor atento, investigativo, sensvel, que no despreza pistas, que l nas entrelinhas, dialoga com seus aprendizes e com sua prpria prtica e que, acima de tudo, tem clareza do papel da arte na educao, dos objetivos do ensinar aprender arte e o que pretende com cada uma das situaes de aprendizagens propostas.

O qu e quando registrar?

Quando fotografamos um aniversrio, por exemplo, tiramos fotos dos momentos mais significativos da festa, aqueles que sintetizam, da melhor forma possvel, o evento que queremos registrar, para relembrar o acontecido, para organizarmos nosso lbum de memrias.

Assim tambm, na sala de aula, registros devem marcar etapas importantes de um projeto ou seqncia de situaes de aprendizagem. Podem ser solicitados registros ao se dar incio a um novo projeto, com funo de diagnstico; nesse caso, o professor poder perceber o repertrio artstico e esttico de seus alunos, tendo, assim, melhor clareza de como orientar seu planejamento a partir das noes e conceitos que a classe j possui, desvelando e ampliando conhecimentos, corrigindo possveis distores e atendendo s necessidades e interesses individuais e coletivos.

Registros tambm podem e devem ser feitos ao final de uma aula, etapa ou momento significativo de um projeto ou seqncia didtica, quando se pretende verificar o que de fato foi apropriado pela classe at ento, observando suas dificuldades e progressos, verificando como se d a articulao entre o repertrio dos alunos e os novos contedos trabalhados, pensar intervenes, replanejar aes.

Ao final de um projeto, registros mostram a sistematizao do conhecimento, o que de fato foi significativo, quais mudanas ocorreram, se os objetivos propostos foram atingidos, de que forma os aprendizes articularam seu fazer artstico apreciao esttica e ao conhecimento da produo artstica da humanidade em seus contextos conceitual, histrico e cultural.

Os registros dos alunos podem ser feitos de forma individual, grupal ou com todo o coletivo da classe, sempre mediados pelo professor, cujo encaminhamento dever visar sempre a busca daquilo que o aluno aprendeu em arte, no se atendo a questes como "voc gostou do que fez?' "como voc se sentiu?'...

Vale relembrar que toda produo dos alunos uma forma de registro: desenhos, pinturas, grficos, charges, quadrinhos, tabelas, msica, poemas, teatro, esculturas... E, claro, tambm fotos e gravaes! O importante que estes registros, todos, tenham legendas, datas, que sejam contextualizados. Nada mais intrigante (e frustrante!) do que uma foto antiga que ningum mais se lembra de onde foi tirada, em que poca, que pessoas so aquelas ali retratadas... Assim, se o professor faz uma gravao de uma apresentao musical de seus alunos ou os fotografa em uma atividade de pintura, fundamental garantir todos os crditos: a data, quem so as pessoas ali presentes, qual a etapa do projeto, qual o projeto... Alunos e professores precisam adquirir o hbito de datar suas anotaes, suas produes, de contextualiz-las.

importante salientar que registros escritos so fundamentais, mas no devem ocupar um perodo muito grande das aulas de arte, cujo universo especialmente o no verbal e cujo espao dentro do currculo escolar j to reduzido! Todos j vimos pessoas em viagens de frias que passam o tempo todo com uma filmadora a tiracolo... Sim, registram tudo, o tempo inteiro, mas e o passeio? E a festa, o prazer, o conhecimento de uma nova cultura? Fica tudo virtual, tudo visto muito tempo depois, atravs de uma lente... preciso fotografar, filmar, registrar sim, mas apenas os momentos mais significativos, porque infelizmente, nossa memria vai se tornando difana, mas, mais importante que tudo, viver, experienciar, estar ali de corpo e alma!

Desta forma, o que vale mesmo, o professor estar presente e atento a todas as produes dos alunos, e anotar - estes so os seus registros - de forma individual ou por grupos de aprendizes, como estes se envolvem nas atividades, de que forma resolvem os desafios propostos, que dificuldades apresentam, que solues encontram para determinados problemas, de que maneira articulam o fazer, o conhecer e o fruir arte. Aos poucos, atravs da prtica do registro, que o professor vai percebendo quais so os momentos snteses de cada proposta, de cada situao que merecem ser registrados.

O portflio

H algumas dcadas atrs, os "registros" da aprendizagem em arte se resumiam a cadernos de desenhos iguais, encapados iguais, apresentando a mesma seqncia de atividades iguais e o melhor aluno era, obviamente, aquele que fosse mais "igual" ao professor, que cobrava cada pgina ausente (ele sabia a ordem das coisas...) e no aceitava nada alm daquilo que ele havia colocado na lousa...

Educadores contemporneos sugerem a organizao dos registros dos alunos - e tambm os do professor - em portflios, palavra essa que no deve ser desconhecida dos arte-educadores, pois se trata de uma pasta h muito tempo usada por artistas e arquitetos que nelas documentam todo seu percurso profissional, selecionando suas obras mais marcantes e significativas.

Cada aluno pode e deve criar seu prprio portflio - que individual -, nele guardando suas produes e documentando toda sua trajetria durante um determinado projeto ou ano escolar, sempre orientado pelo professor que, com sua turma pode combinar os critrios de seleo dos trabalhos que dele faro parte: textos, desenhos, rascunhos, projetos, anotaes, reflexes, trabalhos individuais ou em grupo, relatrios, marcos significativos de aprendizagem organizados de forma que evidenciem o envolvimento do aprendiz no processo de ensinar/aprender arte. Cada portflio nico, tem a marca de quem o fez, com a histria nica, irrepetvel de seu autor.

Um portflio no deve ser visto como uma caixa onde se guardam coisas que no se usa mais, nem organizado de forma mecnica ou burocrtica. algo vivo, dinmico, que se consulta sempre, que objeto de reflexo, de anlise e de avaliao contnuas.

O professor tambm deve elaborar o seu portflio, de cada classe, com registros de cada aluno ou grupos de alunos, com suas reflexes, anotaes, avaliaes, enfim, com a histria de seu percurso com aquele grupo de alunos que lhe foi confiado naquele perodo de tempo.

Portflios podem e devem ser compartilhados entre os alunos da classe, com outros professores da escola assim como com os pais. So como lbuns de fotografias, revelam vidas, contam histrias...

Bibliografia

SMOLE, Ktia Stocco. Inteligncia e avaliao: Da idia de medida idia de projeto. Tese de doutorado. FEUSP - SP: 2002.
CENPEC - Centro de Estudos e Pesquisa para Educao, Cultura e Ao Comunitria. . Importncia e funo do registro. Ensinar e Aprender. SP: 2000
Martins, Mrian Celeste, Picosque, Gisa e Guerra, M. TerezinhaTelles. A lngua do mundo: poetizar, fruir e conhecer arte. FTD SP: 1998.
CASTRO, Edmilson. A produo do registro do educador: decifrando sinais. Espao Pedaggico. SP:2001
FREIRE, Madalena. O papel do registro na formao do educador. Dilogos Textuais. Espao Pedaggico. SP: 2001
PERNIGOTTI, Joyce Munarski, Saenger, Liane, Goulart, Lgia B., vila, Vera M. Zambrano. O portflio pode muito mais do que uma prova. Ptio. Revista pedaggica. Ano 4 - n. 12.

Comentários Deixe o seu comentário

  • Ana Lucia Lemes, 09:41 - 22/01/2015
    Ol estava procurando um texto de pesquisa sobre o registro e encontrei este, gostei muito da forma que foi explicado, uma forma fcil e de entendimento claro. Tenho alguns registros das minhas aulas e assim poderei rev-los, fao tambm um bom uso dos meus registros, sempre achei importante registrar, no apenas como uso burocrtico, mas, para poder rever minha prtica e aprimorar o trabalho.
  • monica de guedes silva, 22:16 - 04/06/2016
    gostei muito, sempre solicitei relatorios das atividades ,porm com os anos de ensino foi abrindo mo devido alguns fatores de comportamentos dos alunos,esse texto fez-me refletir sobre a volta dessa atividade. parabns

Deixe o seu comentário

Os campos assinalados com (*) são de preenchimento obrigatório.




Envie seu artigo

Compartilhe o seu conhecimento adquirido durante sua pesquisa.

Faça o login para enviar seu artigo

Filtrar artigos

Ver todos os artigos